quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Outlander


Sinopse: A inglesa Claire Randall, enfermeira durante a Segunda Guerra Mundial, viaja com o marido Frank à Escócia, para uma reaproximação após anos separados pela guerra. Entretanto, Claire acaba, através de alguma magia, por voltar 200 anos no tempo e descobre-se sozinha no ano 1743 pouco após a chegada, durante os levantes jacobitas. Nesse ambiente, ela conhece o jovem guerreiro escocês Jamie Fraser e Jonathan Randall, antepassado de Frank e capitão inglês.








Opinião: É seguro dizer que esta é, de entre as dezenas de séries que vou acompanhando, uma das que mais me apaixona. Que me faz querer conhecer a Escócia. Que me faz sonhar com visitar o passado. Toda aquela envolvência medieval é absolutamente deliciosa.

Claire viaja para um tempo onde as mulheres ainda não são vistas com tanta igualdade e independência como no seu próprio tempo, mas recusa-se a deixar de ser a mulher forte e leal às suas convicções que é, enfrentando e desafiando a forma de pensar da comunidade onde vai parar. É uma personagem lutadora, que persegue sempre a justiça e que não se coíbe de dizer o que pensa. Inspirador para qualquer mulher.

A primeira temporada foi a mais apaixonante, que nos dá conta da descoberta de uma Escócia antiga e sua cultura pelos olhos de Claire, onde ela conhece o que virá a ser o grande amor da sua vida. É aqui que ela se adapta à vida 200 anos antes do mundo que conhecia e consegue fazê-lo surpreendentemente bem. E a relação dela com o Jamie torna-se naquilo que suponho ser o que qualquer pessoa deseja. Complementam-se e encaixam na perfeição.

É uma série bastante cativante e que, além do enredo, nos vai apresentando factos da História, que são sempre mais fáceis de apreender (falo por mim, pelo menos) quando estamos a ver uma representação dos acontecimentos como se estivessem a decorrer à frente dos nossos olhos naquele momento.

Recomendo e recomendo! Ansiosamente à espera da temporada 5.

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Ah, a adolescência!

Há poucos dias, a minha sogra veio cá a casa deixar fraldas e toalhitas para a Alice e trouxe uns doces para o Leo. Quando ele chegou da escola, foi mandar-lhe uma mensagem a agradecer e eu disse-lhe para não usar abreviaturas. A resposta foi um revirar de olhos acompanhado de um "Porque é que tens que ser tão mãe?!"... E ainda me perguntou se ela não percebia abreviaturas porque é do antigamente. Acho que tenho, oficialmente, um pré-adolescente em casa e não estou preparada para isto. 😶😂

sábado, 16 de novembro de 2019

Velhos hábitos


Nunca fui de ver filmes nem séries em outras línguas que não o inglês. Ocasionalmente, mas sempre resisti um bocadinho. É-me estranho, sei lá. É um dos motivos pelos quais ainda não vi La Casa de Papel, apesar das maravilhas que dizem da série espanhola. No entanto, pus a resistência de lado para começar a ver esta, Vis a Vis. Mas confesso que o hábito de ver tudo na língua inglesa está tão enraizado que, apesar de estar a ouvir as falas em espanhol, ao ler as legendas, o meu cérebro faz a conversão para o inglês. É só a mim que isto acontece?

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Throwback 2004


Num dos meus posts, publiquei uma foto de 2004, no qual questionei no final qual era a menina de 15 anos que, hoje em dia, se vestia como eu me apresentava na foto em questão. Contudo, não me vestia apenas daquela forma. Da mesma maneira que sempre fui um bocadinho sui generis a vestir, como referi anteriormente, também sempre fui muito versátil. Acho que não me posso definir com um estilo só. Sempre achei muito redutor. Então elegi outra foto do mesmo ano. Também com 15 anos. 

Recordações deste ano?
- Conheci o pai do meu filho, que sacou o meu email de uma daquelas correntes que se enviava por essa via antes do boom do Facebook;
- Em 2004, comunicávamos online pelo MSN Messenger (saudoso!) e a rede social era o Hi5;
- Foi o ano em que entrei para o secundário;
- Era nesta altura que andava perlo mIRC;
- Foi fundado o Facebook, apesar de eu me ter recusado a aderir até 2009;
- Acabou a série Friends;
- Decorreu em Portugal o Euro 2004;
- Fui ver o 3º filme do Harry Potter ao cinema
- Lembro-me do buzz em volta da morte do jogador Fehér em campo, por ter sido tão repentino e inesperado, e lembro-me perfeitamente de o ver cair;

Músicas lançadas em 2004 que eu ouvia:
- Broken - Seether ft. Amy Lee
- Boulevard of Broken Dreams - Green Day
- Don't tell me - Avril Lavigne
- Nobody's home - Avril Lavigne
- My happy ending - Avril Lavigne
- Rich girl - Gwen Stefani
- My place - Nelly ft. Jaheim
- My boo - Usher ft. Alicia Keys
- What you waiting for? - Gwen Stefani
- Welcome to my life - Simple Plan
- Missing - Evanescence
- Calling all angels - Lenny Kravitz
- Somewhere only we know - Keane
- These words - Natasha Bedingfield
- Sick and tired - Anastacia
- I'm not okay (I promise) - My Chemical Romance

E vocês? Do que se lembram desse ano? Reconhecem as músicas? Ouviam-nas?

terça-feira, 12 de novembro de 2019

Férias 2019 #10

E assim termina, finalmente, a saga das férias deste ano! As últimas são fotos da nossa viagem de ida e do regresso a casa.





















domingo, 10 de novembro de 2019

Desilusões

Sabem aqueles momentos na vida em que vos apetece mandar tudo para o car*lhinho e desaparecer? É incrível como as pessoas que nos são mais próximas são as mais capazes de nos desiludir. Quando tudo começa a dar merda e a coisa se arrasta por tempo indeterminado, acho que chega a um ponto sem retorno. E eu estou quase no limite.

sábado, 2 de novembro de 2019

Ódio de estimação

Há dois anos, terminou uma das séries que eu seguia (2010-2017), Pretty Little Liars (disponível na Netflix). Este ano saiu um spin-off (Pretty Little Liars: The Perfectionists), com duas das personagens originais e mistérios muito ao estilo da série-mãe, que descobri agora quando instalei a HBO no telemóvel.


Claro que fui ver, vi os 10 episódios da 1ª temporada o mais rápido que consegui e, no fim, fui procurar uma data para a 2ª... E deparei-me com uma série de sites a dizer que a série tinha sido cancelada após a 1ª temporada. O que me deixou muita comichão nos nervos, principalmente, porque terminou com um grande cliffhanger. Além de várias pontas soltas e coisas a serem exploradas, ficou por desvendar a identidade e as intenções da personagem mistério!!

Portanto, epa... este post é, sobretudo, para dizer que tenho um odiozinho muito especial pelas emissoras que cancelam as séries a meio! Odeio-vos para sempre, está bem?

A minha relação com o peso

Exactamente um mês depois do último post (sou péssima com a assiduidade por estas bandas), cá estou para vos falar um pouco deste tema. Toda...