sexta-feira, 27 de setembro de 2019

O Meu Conto de Fadas #23


Até esta música começar a passar incessantemente na rádio, eu nunca tinha ouvido falar na Bárbara Tinoco. Mas cativou-me logo na primeira vez que a ouvi. Quando comecei a prestar realmente atenção à letra, senti que era como se estivesse a ouvir um relato sobre o início da minha relação com o B.

(...)
Ele quer mais
Ela também
Talvez por isso nesse dia
Ele foi vê-la á luz do dia
(...)

Como já aqui contei, conhecemo-nos num bar, a primeira saída foi entre amigos para o mesmo bar e, no dia seguinte, ele veio ter comigo à tarde. É como a parte do "ele quer mais, ela também". Já entrou aqui nos meus relatos desta rubrica!

(...)
Ele gosta das formas dela
E ela diz que ele tem bom ar
O mundo finge não saber
Que ele não é rapaz de fiar
(...)

Uma das primeiras coisas que ouvi sobre a opinião dele a meu respeito (apesar de não da boca do próprio) foi que, fisicamente, fazia o género dele. Assim como uma das primeiras coisas que a minha BFF me disse depois de o conhecer foi que ele era mesmo o meu tipo de rapaz.

(...)
Ele que sabia de cor
As moças mais fáceis
Engates mais rascas

Ela que ficava em casa fechada
Com medo de ser
Só mais um rabo de saias
(...)

A realidade é que o meu marido teve um passado... chamemos-lhe colorido. Felizmente para mim, é coisa que não me faz comichão. E os primeiros versos deste trecho assentam que nem uma luva na pessoa que ele era.

Quanto aos outros versos, se não é verdade que eu ficava fechada em casa, a frase aplica-se metaforicamente. Na altura que nos conhecemos, eu tinha levantado imensas barreiras emocionais para me proteger.

(...)
Ele agora diz que a ama
Dormem juntos só a dormir
Gosta dela de pijama
E ela de o corrigir
(...)

Acho curiosa a menção ao estar de pijama, porque sempre fui fã assumida desse outfit, se não sair de casa, não o tiro e é a primeira coisa que faço quando chego a casa: vesti-lo. Pudesse eu e andava na rua assim.

Quem me conhece bem, diria que "gostar de corrigir" é totalmente eu! Peço desculpa a quem leva isso a mal e, com o tempo, aprendi a calar-me, primeiro, porque percebi que muitas vezes as pessoas gostam de ser burras e não querem aprender; segundo, porque não quero ofender ninguém, então engulo.

Acho que já há muito tempo que não me relacionava tanto com uma música.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Manda o teu bitaite

Velhos hábitos

Nunca fui de ver filmes nem séries em outras línguas que não o inglês. Ocasionalmente, mas sempre resisti um bocadinho. É-me estranho, ...