terça-feira, 15 de setembro de 2015

As mães e o regresso às aulas



Já vi várias imagens deste género, especialmente agora que o regresso às aulas está aí. E confesso... que não consigo perceber. Porque há mães que dizem amén a isto! A sério, porquê? Eu gostei do período de férias do meu filho, estando eu a trabalhar ou em casa. Gostei que não houvesse pressas todas as manhãs, preocupações com os lanches, com a roupa para ir para a escola, com os horários de deitar. Gostei que houvesse uma pausa em tudo isso e que ele pudesse desfrutar do descanso que é não ter esses compromissos. A sério, mães. Porquê??

domingo, 13 de setembro de 2015

Os bebés e a aranha



O meu filho começou por andar para trás, claro, como a maior parte dos bebés, mas foi sol de pouca dura. É normal, por ser mais fácil, mas isso depressa lhe passou.

Não atrapalhou nada o processo natural da marcha... começou a andar normalmente e na direcção certa!

A postura dele era correcta quando começou a andar sem aranha. Nem se desequilibrava.

Despende menos energia?? Ahah, despendia e muita!

Como já referi... equilíbrio perfeitinho!

O desenvolvimento psicomotor dele sempre foi normalíssimo e sem atrasos.

Mais quedas que o normal? E o que é o normal??

Traumatismos cranianos nunca houve por aqui.

A independência que a criança tem é apenas a que lhe damos e os pais decidirão se a criança terá maturidade para isso ou não. Com certeza não vão pôr a criança na aranha com 3 meses!


Pais e mães, se acharem que devem usar a aranha, não evitem fazê-lo por opiniões alheias. Cada bebé tem o seu desenvolvimento e ritmo próprios. Não se regulem pelos outros, pois não são todos iguais e os efeitos não são os mesmos em todas as crianças!

sábado, 12 de setembro de 2015

Ajudar quem precisa. Bora?

Venho deixar-vos aqui um pedido de ajuda para duas famílias que a Luta Por Um Sorriso está a ajudar. Agradeço qualquer ajuda que possam dar. E eles também!

A Carla e o Francisco têm dois filhos em idade escolar (10 e 14 anos, respectivamente). Apenas a Carla trabalha; o Francisco não recebe qualquer subsídio e está há muito tempo desempregado. De vez em quando faz uns biscates, quando consegue arranjar, mas é tudo. O único rendimento fixo é o da mãe das crianças, que também não é nenhuma fortuna. É uma família que sempre passou por dificuldades e, muitas vezes, chega a uma altura do mês em que não têm comida para pôr na mesa. Esta é uma família que nos é próxima e que foi quem nos levou a criar este projecto. Na altura do Natal estavam a passar por bastantes dificuldades financeiras e nós recorremos à ajuda de estranhos para lhes conseguir dar um bom jantar de Natal. O Bruno, do Homem Sem Blogue, conseguiu mobilizar um grupo de pessoas que se deslocaram à casa desta família com um carregamento que dava para a noite de Natal e não só! E ainda trouxeram umas prendinhas para os miúdos. Durante uns meses conseguiram aguentar-se, porque o pai conseguiu um trabalho durante mais algum tempo, mas agora está novamente desempregado e têm estado num aperto financeiro, por isso, nós achámos que estava na altura de voltar a pedir ajuda por eles. O Daniel, com 10 anos, calça o 35/36 e veste 12-14 grande de t-shirt/camisola e 13-14 grande de calças. O Rafael, com 14 anos, calça o 43/44 e veste XL de t-shirt/camisolas e L/XL de calças. 

A Ana e o Frederico têm dois meninos, o Iuri, com 8 aninhos e o Tomás, com 6; vem agora um novo membro a caminho, pois a Ana está grávida. A Ana Cristina Santos, professora do Iuri, que já contribuiu para o nosso projecto, veio falar connosco em nome desta família para pedir ajuda para eles, uma vez que passam por dificuldades e toda a ajuda é bem-vinda. Para esta família, precisamos de bens alimentares e de higiene. Quanto a roupa e calçado, precisamos para os meninos, roupa de 7 e 10 anos e calçado 30 a 32. Além disto, uma vez que a Ana está grávida, aceitamos acessórios de bebé, roupinhas (neutras, por enquanto, uma vez que ainda não sabemos o sexo do bebé) e fraldas.


Vamos lá ajudar?

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Dias complicados!

Ontem foi um desses dias. Às 8h da manhã estávamos no hospital. Em jejum, ele e nós. Às 10h25 eu estava com ele no bloco operatório, nervosa e à espera que aquilo passasse depressa. Às 10h35 estávamos na sala de operações, ele deitado com a máscara na cara e a adormecer rapidamente. Conduziram-me para fora do bloco e depois foi uma hora de espera enervante. Felizmente, correu tudo bem, era uma cirurgia simples, uma coisa que, para os médicos, não tem nada de extraordinário, faz-se todos os dias. O meu filho tirou os adenóides, cortou parcialmente as amígdalas e pôs uns tubinhos nos ouvidos. Tudo com o objectivo de corrigir a falta de audição de 25%, o ressonar, os problemas respiratórios... Foi um dia cansativo, o pequeno quis luz apagada e som da TV baixinho ou em silêncio, dormitou, queixou-se da cabeça, vomitou... mas estamos em casa agora. Correu bem, já aguenta o pouco que pode ingerir no estômago. Agora é gelados, iogurtes, fruta cozida e esmagada, enfim... frios, cremosos e líquidos. Ai ai, os filhos! Amo-te pequenino <3

25 dias, 25 músicas #25

Uma música que posso ouvir todo o dia que nunca me canso (até me cansar...!)

Elastic Heart - Sia (Shia LaBeouf & Maddie Ziegler)