quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Tortura...

Há dois dias, o meu filho foi colocar um aparelho nos dentes. É para alargar o céu da boca, que é muito estreito, e corrigir a mordida cruzada. Daqueles que é preciso ajustar diariamente em casa com uma chave. E digo-vos o seguinte: é uma real merda. O pequeno queixa-se sempre com dores. Pudera, aquela porra tem todo o ar de ser doloroso. Agora custa-lhe a falar e comer também é um problema. Esqueçam lá os alimentos mais difíceis de mastigar. Muita comidinha mole agora... Sabemos que é por uma boa causa, mas custa!

sábado, 23 de fevereiro de 2019

Na Cozinha da Cy #40

Tarte de carne picada


Ingredientes
Massa:
- 2 cháv. farinha
- 1,5 cháv. leite
- 1/2 cháv. óleo
- 1 c. sopa fermento
- 2 ovos
- sal q.b.

Recheio:
- 2 cháv. carne picada cozinhada

Preparação
Coloque tudo no liquidificador, primeiro os líquidos, depois os sólidos. Coloque metade desta massa numa tarteira untada e polvilhada, depois o recheio e o resto da massa. Polvilhe com queijo ralado e orégãos. Leve ao forno até cozer e dourar.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

Ser mulher

Parte da novela da TVI Valor da Vida passa-se no Líbano e, por isso, dá-nos oportunidade de ver o que todos nós sabemos: o significado de ser uma mulher muçulmana. Uma das famílias desta novela sempre viveu no Líbano, sendo agora uma mãe e duas filhas adultas. Uma delas apaixonou-se por um muçulmano e iludiu-se durante muito tempo, julgando que seria feliz ao casar-se com ele. Obviamente, não foi o que aconteceu. Assim que casaram, ela passou a ser propriedade do marido. Durante uns meses, ela ainda resiste, batendo o pé que quer sair de casa sozinha, viajar para ver a família, trabalhar em moda e ter uma carreira... Mas desiste de enfrentar o marido e a sogra quando lhe começam a bater, depois de a trancarem em casa.


O que me arrepia nesta história é que é o espelho do que se passa na realidade. A verdade é que lá, após o casamento, a mulher pode ser presa, agredida, violada... sem ter a que recorrer. E tudo isso é visto como normal, pois a mulher é um cidadão de segunda classe, que só existe para servir o homem.

A mulher adúltera pode ser facilmente morta pelo marido, com todo o direito, segundo as leis libanesas. O contrário já não acontece, pois se a esposa matar o marido infiel, é condenada a prisão perpétua ou morte por enforcamento.

Não podem viajar sozinhas, nem sem autorização do marido. Existe uma lei da proibição para isto mesmo, o que faz com que muitas mulheres nunca consigam sair destas relações, pois nem possibilidade de fugir do país têm.

Há toda uma série de coisas naquela sociedade que, mesmo eu sabendo que é assim, ainda me choca sempre que oiço falar no assunto. Não me cabe na cabeça como é que um país (vários, até!) pode ainda ser tão atrasado nesta altura do campeonato. Como é que pode considerar um ser humano tão inferior a outro? É muito revoltante... e tenho imensa pena das mulheres que têm que o ser nesses países!

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Movie review \\ Sherlock Gnomes


Sinopse: Quando Gnomeu e Julieta chegam a Londres com a sua família e amigos para começar uma nova vida, o que eles desejam é encontrar um jardim onde possam assentar. Apesar de felizes com a nova vida, depressa se dão conta de uns rumores sobre estranhos acontecimentos em vários pontos da cidade. Quando se apercebem de que o seu jardim foi atacado e os seus amigos raptados, vêem apenas uma solução: contratar os serviços de Sherlock Gnomes, o mais inteligente e habilitado detective que alguma vez existiu, e de Watson, o seu famoso ajudante. Os quatro dão então início a uma investigação que promete surpresas inesperadas.







Opinião: Eu até gosto de animações, mas esta é mediana. Entretém os miúdos, mas não acho que seja uma grande história. Apesar de o Gnomeu e a Julieta estarem ligados a Sherlock e Watson, passei o filme todo com a sensação de que este era dividido em dois: num lado, a história do casal no jardim novo e a forma como a mudança afecta a relação dos dois; no outro, a dinâmica entre Sherlock e Watson com o vilão Moriarty. Gostei da mensagem passada de que se deve dar valor a quem nos é próximo (Gnomeu no caso da Julieta e Watson no caso de Sherlock), mas não tenho a certeza de que esta seja clara o suficiente, no meio de todo o enredo, para se fixar na mente das crianças.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Pedaços do meu mundo #17


Esta foto foi tirada no verão de 2007 e é das fotos que melhor mostra a forma como eu me apresentava na altura. O cabelo pintado de preto (a minha cor natural é castanho), que usei durante bastante tempo. Os tops de alças, que eu usava com tudo; tinha em preto, vermelho, amarelo, branco, laranja... Os casaquinhos mini, que eu também adorava e conjugava quase sempre com um dos tops. Acho que este branco era mesmo o meu favorito! E as saias... aquele género de saias que eu a-ma-va e usava praticamente o verão inteiro. Comecei a usar porque gostava ainda antes de ser moda e toda a gente me olhava de lado por isso. Sabem como são as pessoas com tudo o que é diferente. No verão seguinte, era o último grito da moda, encontravam-se saias destas em tudo o que era loja e toda a gente tinha uma. Enfim! Confesso que tenho saudades desta versão minha, tinha um ar tão fresco! Suspeito que estar no auge dos meus 18 anos ajudasse... 😂

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Utilidades da maternidade

Alcofa

Não comprei porque me emprestaram e eu aceitei a oferta porque, pela experiência do primeiro filho, sabia que me iria dar jeito. Quase a completar os 4 meses, a Alice está prestes a começar a dormir directamente na caminha dela, mas desde que veio para casa, tem dormido na alcofa. Dobrei um edredão dela para ficar mais fofinho, o saco de dormir com ela lá dentro e a mantinha. Fica super aconchegadinha e dá para fazer as sestas dela ao pé de nós, pois levo a alcofa para qualquer parte da casa, coisa que não posso fazer com a cama.


Espreguiçadeira

Também me deram e também já tinha utilizado uma com o Leo. Agora que a pequena dorme menos durante o dia, dá imenso jeito para levá-la comigo facilmente para qualquer divisão, enquanto vou fazendo coisas cá por casa. Vai comigo para a cozinha quando lavo a loiça ou faço o almoço/jantar, para a sala enquanto passo a ferro ou simplesmente vejo TV e até mesmo para o WC quando tomo banho. É daquelas que vibra e dá música, o que é porreiro!


Sling

Isto é assim espectacular. Como é um pano, a modos que se molda ao corpinho do bebé. Dá para irmos fazendo qualquer coisa porque temos as mãos livres e o bebé tem sempre o aconchego do colinho, sem nos dar cabo dos braços. No outro dia, fui ao supermercado com a Alice aqui. Mas mesmo em casa, uso imenso. Ela até adormece aqui dentro! (comprei no eBay)


Cadeira evolutiva

Esta pequena maravilha é uma espécie de rede onde o bebé encaixa para lhe podermos dar banho com ambas as mãos livres e as costas mais aliviadas! É só espectacular e adapta-se ao tamanho do bebé. (comprei no Jumbo)

Vida saudável #1

Olá gente! Em tempos, já tinha investido numa forma mais saudável de levar a minha vida e a verdade é que estava a resultar bem, mas coisas foram acontecendo e acabei por deixar para trás tudo o que tinha conseguido e voltar aos maus hábitos. Durante a gravidez da Alice, decidi que devia mudar isso novamente. Não fiz por isso quando ainda estava grávida, mas depois do nascimento dela, já com mais vontade e disposição para me mexer, pus mãos à obra.

O primeiro conselho que dou para esta jornada é pesquisarem muito. Pessoalmente, considero que uma alimentação saudável pode sair um pouco mais caro, a verdade é essa. Pratos com massas, arroz, carne de porco e afins são coisas que rendem e não pesam tanto no orçamento. Cereais ao pequeno-almoço é simples e rápido e isso também nos ajuda a ganhar tempo no dia-a-dia, pelo que optamos muitas vezes por isso (se não para nós, para os miúdos).

Contudo, com alguma pesquisa, a coisa faz-se. É preciso é perder um pouco de tempo a procurar os produtos e as receitas adequadas. Ainda ando nesta fase e um blog que muito me cativou e que tem sido uma autêntica bíblia é o Na Cadeira da Papa. Cheguei lá à procura de ideias para as primeiras refeições da Alice e deparei-me com um mundo de receitas saudáveis e dicas super úteis.

As primeiras alterações que implementei foram simples, baseadas na decisão de que não posso cortar tudo de uma vez, porque sei, por experiência, que isso só me vai dar vontade de comer este mundo e o outro. Não funciona para mim! Portanto, neste momento estamos assim:

  • Deixei de comer os tradicionais cereais de pequeno-almoço. Para o meu filho, que adora e comia todas as manhãs, não quero ser tão radical, mas chegámos a um acordo: come, para já, dia sim, dia não.

  • Deixei de beber leite com chocolate. Não consigo beber leite magro, acho sempre muito deslavado, o que consumo é leite sem lactose meio-gordo. Contudo, o leite da Mimosa com aveia, do já qual falei aqui, é magro, sem lactose e absolutamente delicioso. Comecei a beber com mais frequência. O Leo não liga muito mas gosta do leite sem lactose simples. Óptimo!

  • Voltei a beber mais chá. Uso para substituir o leite com chocolate que bebia muito. O meu favorito, além do de limão, é o de baunilha e caramelo da Lipton.

  • Bebo mais leite com café. Como deixei de usar chocolate e continuo a não conseguir prescindir do leite... bom, na verdade, não é café, é Bolero. Mas o sabor é, basicamente, o mesmo. O miúdo também gosta.

  • Substituí o açúcar branco que usava para adoçar o chá (por exemplo), por açúcar mascavado. Ainda não tenho estômago para beber o chá sem adoçá-lo!

  • Comecei a experimentar receitas saudáveis de pequenos-almoços, snacks e lanches do blog Na Cadeira da Papa. Alguns aprovados pelos homens da casa, outros nem tanto. Irei, eventualmente, publicar aqui na rubrica Na Cozinha da Cy.

  • Comecei a fazer mais sopas. O marido torce o nariz e o filho também. Mas é uma óptima maneira de comermos mais legumes e de complementar uma refeição. Também comecei a usar mais courgette e chuchu para substituir a batata (ainda uso, mas em menos quantidade).

  • Abasteci a despensa com coisas compradas entre o Celeiro e o Continente para investir nessas receitas, como açúcar de côco, todo o tipo de sementes, farinha de espelta, farinha integral, flocos de aveia, flocos de quinoa, cereais puff...

  • Voltei às papas de aveia para o pequeno-almoço. Não é nenhum sacrifício, porque eu adoro! 

  • Não é que bebesse muitos sumos e os que bebia eram Ice Tea, mas aquela porra toda tem quilos de açúcar e acabei com isso. Para o filhote reduzi, tal como nos cereais. Substituí por água à maioria das refeições e sumo de laranja natural para lanches ou pequenos-almoços.

  • Passei a comer mais fruta e a impingir ao Leo. Também não é difícil porque, felizmente, ele gosta. Cortei nos snacks doces para as lancheiras da escola e investi mais nas frutas.
Para já, penso que estas foram as mudanças que consegui fazer e não é tão fácil assim, não por mim, mas pelo marido (não faço nada dele, francamente, come o que lhe apetece 😂) e pelo filho (neste ainda mando, sempre vou conseguindo qualquer coisa! 😏).

sábado, 16 de fevereiro de 2019

Locais a conhecer #11 \\ Jardins do Palácio de Cristal, Porto

Os Jardins do Palácio de Cristal incluem o chamado Jardim Emílio David, que possui belos exemplares de rododendros, camélias, araucárias, ginkgos e faias, para além de fontes e estátuas alegóricas às estações do ano.

A Avenida das Tílias constitui o eixo mais marcante deste parque e está ladeada pela Biblioteca Municipal Almeida Garrett (onde se situa a Galeria do Palácio), pela Concha Acústica e pela Capela de Carlos Alberto da Sardenha (edificada em 1849 pela princesa de Montléart). Perto situam-se um restaurante e uma esplanada com vista para o lago. Nesta avenida e noutros locais encontram-se estratégicos miradouros que proporcionam vistas panorâmicas do rio Douro e da cidade. É ao fundo desta avenida que encontramos a capela que a princesa de Montléart mandou erguer em homenagem ao seu irmão, o Rei Carlos Alberto.

Os jardins temáticos estão também representados, nomeadamente pelo Jardim das Plantas Aromáticas, o Jardim das Medicinais, o Jardim das Cidades Geminadas (inaugurado em 2009) e ainda o Jardim dos Sentimentos (inaugurado em 2007), onde se encontra a estátua Dor de Teixeira Lopes. Outros espaços aprazíveis são o Bosque, a Avenida dos Castanheiros-da-Índia e o Jardim do Roseiral que está enriquecido com significativos elementos do património artístico da cidade. Nas proximidades surgem sete magníficos exemplares de palmeiras da Califórnia.
















quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Novidades da princesa

A pequena Alice foi diagnosticada com luxação congénita da anca (ou displasia). Foi detectado cedo também porque ela ficou logo marcada para ser seguida, devido ao historial familiar. Eu, a minha irmã e o meu pai também o tivemos. Nós duas usámos aparelhos de correcção. E a Alice começou agora a usar também. 


Para quem não sabe, a displasia da anca acontece quando há um contacto insuficiente entre a cabeça do fémur e o acetábulo (a cavidade onde devia encaixar o fémur). O que o médico me explicou foi que o aparelho vai forçar a cabeça do fémur a manter-se no sítio certo, de forma a moldar a cavidade para que fique tudo bem encaixado futuramente. Se não for corrigido cedo, corre-se o risco de, mais tarde, desencaixar mesmo e ter que se partir para a operação (no meu pai foi descoberto apenas aos 11 anos e acabou por ter que colocar uma prótese na anca).

Apesar disto e de ela não achar muita graça no momento de colocar o aparelho, porque lhe estamos a prender os movimentos, no dia-a-dia, não se queixa e continua a ser uma bebé bem-disposta.


Já reage quando vê o biberão na hora de comer, a atitude dela muda logo, empina-se toda, arregala muito os olhos e joga as mãos ao biberão.

Já nos vai fazendo festinhas na cara quando nos aproximamos dela.

Também anda cheia de força na cabeça, quando está deitada de barriga para cima, tenta levantar-se, parece que está a fazer abdominais. E de barriga para baixo, também aguenta bem a cabeça.


A caminho dos 4 meses, tem sido uma aventura óptima, que me veio recordar o quanto eu tinha saudades disto. É tão diferente ser mãe de um menino de 10 anos e de um bebé de meses.

Os meus dois amores 💜

Mariquinhas me confesso

Até há duas semanas, deixava a persiana da cozinha aberta durante a noite e, apesar de todas as janelas ficarem fechadas, não trancava nenh...