domingo, 28 de dezembro de 2014

Cinema nos últimos dias


Sinopse: Num reino dominado pela tirania, a vaidosa e egoísta Rainha Ravenna descobre que sua enteada, Branca de Neve, está destinada a superá-la não apenas como "a mais bela de todas", mas também como governante do reino. A rainha ouve de seu espelho mágico que a única maneira de permanecer no poder é consumir o coração de Branca de Neve e conseguir a imortalidade. Enquanto isso, Branca de Neve escapa para a Floresta Negra e Ravenna recruta o caçador Eric para matá-la. Eric, no entanto, se apieda da jovem princesa e a ensina a arte da guerra. Agora, com a ajuda de sete anões, Eric e do Príncipe William, Branca de Neve inicia uma rebelião para derrubar sua madrasta de uma vez por todas.

Elenco: Kristen Stewart, Charlize Theron, Chris Hemsworth

Opinião: Já vários filmes foram feitos a retratar, de forma alternativa, os contos de fadas que nos são familiares (Red Riding Hood, Maleficent, a série Once Upon a Time) e devo confessar que gosto do género. Este filme conta a história da Branca de Neve e da madrasta, a Rainha Má, de maneira a que a princesa não seja retratada como uma boneca frágil, mas sim como uma princesa guerreira, que luta para derrotar a vilã. Foi a melhor prestação que vi da Kristen Stewart, já que, normalmente, ela aparece sempre com aquele ar de pãozinho sem sal. E, claro, a Charlize Theron, no seu melhor.



Sinopse: Em 1945, cientistas Nazistas, tentaram desenvolver seres humanos modificados para lutar na Segunda Guerra Mundial, mas não conseguiram, porque a guerra acabou. No entanto, com o passar do tempo cientistas continuaram com as experiências e conseguiram criar pessoas com poderes, como telepatia, clarividência, controle de mentes e telecinese; algumas cobaias são perseguidas por uma agência clandestina do governo dos EUA, chamada "Divisão", e lutam para escapar. Uma das cobaias com poderes de controlar mentes, sofre uma injecção de uma droga experimental e sobrevive, escapa e tenta conseguir ajuda com um antigo amigo que está em Hong Kong.

Elenco: Chris Evans, Dakota Fanning, Camila Belle, Djimon Hounsou

Opinião: É um filme de acção e ficção, com o que eu considero um bom elenco. Permite-nos dar asas à imaginação e abre-nos a porta para um mundo de espiões, heróis... gostei. Aconselho, vê-se bem.



Sinopse: A história passa-se num futuro distópico, após uma terceira, e destruidora, guerra mundial. A sociedade é controlada por um regime totalitário, que obriga a população a tomar uma droga chamada Prozium que anestesia emoções, prevenindo tensões sociais, pois  há a crença de que as emoções foram culpadas pelos fracassos das sociedades do passado. John Preston, o protagonista, é um membro da instituição que mantém a ordem e acaba por localizar a Resistência, o grupo que se recusa a fazer parte da nova sociedade, boicotando a droga que procura erradicar a capacidade de sentir.

Elenco: Christian Bale, Emily Watson, Taye Diggs

Opinião: Este filme gira em torno da ideia de viver numa sociedade sem sentimentos através de um medicamento que inibe as emoções. O objectivo é acabar com a ira, a raiva, o ódio, todos os sentimentos que incentivam a guerra. E, como sacrifício por um bem maior, acabar também com a alegria, o amor, a amizade. É uma ideia interessante, que nos demonstra o quão é importante ter a capacidade de sentir e o quanto a nossa vida seria vazia sem ela. Mostra-nos o desespero das pessoas que querem sentir e como só se torna tão importante quando se apresenta a possibilidade de viver sem isso. Gostei!

sábado, 27 de dezembro de 2014

Happy birthday, boo!


Parabéns, meu amor! É o quarto aniversário teu que comemoramos juntos. E serão muitos mais. Por muitos altos e baixos que tenha a nossa relação, por muitos obstáculos que apareçam na nossa vida, juntos ultrapassamos tudo. Um beijo enorme. Amo-te!

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

OBRIGADA!

Depois do meu pedido de ajuda para os meus sogros e cunhados, houve uma grande mobilização na blogosfera, que devo agradecer ao Homem Sem Blogue, a quem escrevi um email mais detalhado sobre a situação da minha família e que, não só partilhou no blogue dele, como se deslocou, hoje à noite, com um grupo de pessoas (amorosas e solidárias) até à casa dos meus sogros, em Setúbal, com um carregamento de alimentos, bens de higiene, roupa, brinquedos e chocolates. O meu sogro ficou sensibilizado e agradecido, disse-nos que em tempo de necessidade, uma pessoa não pode dar-se ao luxo de ter vergonha. Não estávamos à espera de tanta coisa em tão pouco tempo, mas ficámos muito agradecidos! O miúdo mais novo ficou com a maior parte da roupa (o que já lhe estava pequeno guardei para quando meu filhote crescer mais um bocadinho!). E ele até arregalou os olhos para os brinquedos! Tanto um como outro, que não estão habituados a ter doces em casa, adoraram os chocolates! É um miminho que sabe maravilhosamente a crianças (especialmente quando não costumam ter coisas destas). Fiquei comovida e foi um gesto para o qual não existem palavras suficientes para agradecer! Um MUITO e ENORME obrigada a todos os que se deslocaram a Setúbal e também a quem lá não esteve, mas também contribuiu. Desejo um óptimo Natal a todos os que nos ajudaram, aos que me lêem, às vossas famílias e amigos!

domingo, 21 de dezembro de 2014

Da irresponsabilidade

Dia 16 de Dezembro, houve um acidente no Centro Comercial Alegro de Setúbal. Um rapaz de 17 anos descia as escadas rolantes sentado no corrimão. Brincadeiras de putos. O pior aconteceu. Ele desequilibrou-se e caiu, uma queda de 15 metros. Muitos dizem que ele foi empurrado por quem ia com ele, outros dizem que é bem feita por se sentar lá em cima, outros ainda que ele ia com um grupo e ia a tentar armar-se em bom para os amigos.

Eu conheço a família, o rapaz era daqui e a cidade tem estado de luto por este miúdo. A verdade é que é uma brincadeira recorrente nos adolescentes, nesta idade, apesar de as pessoas dizerem que já têm idade para ter juízo, na realidade, pensam que nada lhes acontece. Já todos tivemos esta idade e sabemos que isto é verdade. Independentemente das circunstâncias, o que é facto é que ele já cá não está, foi uma morte violenta e dolorosa para todos o que o rodeavam.

A mãe dele sentiu-se mal no velório, o amigo que ia com ele não fala, não come... sente-se culpado e, principalmente, por haver gente a dizer que ele o empurrou, quando tudo o que ele fez foi tentar ajudá-lo. Mas a família do rapaz acredita plenamente no amigo dele. Não o culpam de nada.

Isto toca-me profundamente e deixa-me triste. Não interessa se a culpa foi dele porque quebrou as regras de segurança. Nada disso o traz de volta. E os pais e amigos estão a sofrer!

Quem quiser ver a notícia, está aqui.
E uma homenagem que eu acho muito bonita de uma amiga dele aqui.

Descansa em paz, Diogo. E força à família!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

A miséria de perto...

Venho pedir a vossa ajuda para uma situação que, embora não me afecte a mim, directamente, me é muito próxima. Não sei como pedir ajuda sem expor muito a família, mas os meus sogros e os meus cunhados (10 e 12 anos) passam por dificuldades que eu e o namorido não conseguimos resolver. Só ela tem trabalho (não muito bem pago). O miúdo mais novo fez anos hoje e não puderam oferecer-lhe nada. Nem vão poder oferecer-lhes nada no Natal. Isto parte-me o coração e nós, embora tenhamos prendinhas para eles, não podemos fazer muito, porque a nossa situação também não é fácil. Ando a tentar ter ideias para reunir dinheiro para eles, mas, para já, e porque pedir dinheiro é sempre má ideia, dado que as pessoas não confiam (e percebo porquê, também eu desconfio do destino que os donativos têm), venho aqui pedir ajuda em bens. Alimentos, massas, arroz, conservas, leite ou, se forem pessoas de perto (somos da zona de Setúbal) e queiram entregar em mão, qualquer outro tipo de alimento mais perecível, como frescos ou assim. Gel de banho, papel higiénico, champô, pasta de dentes, todo o tipo de coisas que uma família pode precisar para sobreviver. Não resolve todos os problemas deles, mas ajuda... queria pedir-vos, directamente, às pessoas que lêem este blog, mas também para fazerem campanha nos vossos cantinhos neste sentido, uma campanha solidária para eles, porque eu sozinha, infelizmente, não consigo! Se me puderem ajudar, seja de que maneira for, por favor, agradeço o contacto.

sábado, 13 de dezembro de 2014

Uma ajudinha

Minha gente, venho aqui pedir-vos a vossa ajudinha para animar a festa de aniversário do meu pequenote em Janeiro. Têm, por aí, lápis de cera/cor ou canetas de feltro/marcadores que não usem, de que se queiram livrar? Queria pôr uma mesa com folhas e material de pintura para os miúdos., se me pudessem ajudar... E, já agora, ideias são bem-vindas! 

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Noção de luxo

Correndo o risco de parecer fútil, vou fazer este post na mesma. Preciso de ajuda, como precisei ao longo de vários meses. Preciso de ajuda para concretizar os meus objectivos. Preciso de ajuda para juntar roupas de bebé, fraldas, chuchas, ovo, carrinho, cama, etc, etc, etc e tudo o que um bebé precisa, para poder ter um filho; porque não quero ter um muito tarde, nem com uma idade muito afastada do que já tenho e porque quero ter tudo pronto antes de ele chegar. Preciso de ajuda para pagar contas. Preciso de ajuda para arranjar trabalho, dado que o que tenho está na corda bamba. Preciso de ajuda para comprar roupa para mim, que pouca tenho. Preciso de ajuda para me casar. Preciso de ajuda para comprar prendas de anos para o meu filho. Preciso de ajuda para tanto. Tanta, tanta coisa... No entanto, não peço. E passo a explicar! As pessoas condenam com facilidade. E sei que há muita gente que olha para mim e vê que tenho um computador, que tenho televisão e Internet, que pago uma renda, que tenho o meu filho na ginástica e na natação, que tenho uma blusa nova. Ninguém vê se pago o computador a prestações, se a natação são os avós que pagam, se a ginástica é paga a meias com o pai dele, se a blusa é dos chineses, se a renda é paga fora de horas, se as contas ficam sempre para depois do prazo, se as compras são feitas com vales de desconto e cartões e promoções... É fácil julgar, não é? "Só vêem o vinho que eu bebo, não vêem as quedas que eu dou", não é o que dizem?

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

11 Struggles Curvy Girls Know Too Well



11 lutas que as raparigas com curvas conhecem demasiado bem. Ahahah, isto fez-me rir! Revejo-me totalmente aqui.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Biscoito e bolacha

A diferença entre biscoito e bolacha. Sempre me intrigou! (sim, as questões que me vêm à mente nem sempre são profundas...)

Resolvi, por isso, ir pesquisar. E fiquei a saber que, no fundo, é exactamente a mesma coisa. Segundo a ANVISA (regulamento técnico para produtos de cereais, amidos, farinhas e farelos), não há diferença entre biscoito e bolacha. Ambos são produtos derivados da farinha, com a possibilidade de apresentarem coberturas, recheios, formatos e texturas diversas. 

O que acontece é que, cá pelo nosso Portugal, para a maior parte das pessoas, os biscoitos são alimentos de forma tridimensional enquanto os de forma plana ou achatada são chamados de bolachas.

E ainda... Nos Açores, o termo biscoito designa os terrenos de brecha vulcânica e os campos de lava recente, dando nome à freguesia dos Biscoitos, na ilha Terceira.

O que uma pessoa aprende quando pesquisa sobre biscoitos/bolachas!

domingo, 7 de dezembro de 2014

Da estupidez



Clipaholics: Uma série revolucionária de comédia que apresenta alguns dos vídeos mais absurdos que o mundo já viu.

Este programa mostra vídeos tão parvos, tão parvos... que demonstram bem até onde vai a estupidez humana. Alguns são divertidos, mas este de que vos venho falar é só... estúpido! Dois rapazes resolvem fazer um concurso de bitchslapping, ou seja, dar chapadas um ao outro para ver quem aguenta mais tempo. No entanto, não contentes com a simplicidade disto, adicionaram uma componente nova. Enrolaram à volta da mão uma lixa, dando estalos um ao outro com uma lixa na mão e o resultado foi este que se vê na foto, sendo que só pararam quando já não aguentavam mais.

Seriously?

domingo, 30 de novembro de 2014

Na Cozinha da Cy #10

Fusilli com carne picada e natas

Ingredientes:
Massa fusilli
Carne picada
Azeite
Vinho branco
1 cebola média
3 dentes de alho
2 folhas de louro
Polpa de tomate
Natas
Sal

Preparação:
Picar o alho e a cebola. Colocar num tacho, juntamente com o azeite, a polpa de tomate, o vinho e o louro. Adicionar a carne picada. Juntar água até cobrir a carne e temperar de sal. Entretanto, quando a carne estiver a apurar, cozer a massa. Quando estiver feita, escorrer e juntar à carne picada. Adicionar as natas e envolver tudo.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Orgulho materno

Não sei se é por ser o primeiro filho e por todas as experiências serem as primeiras, mas tudo o que se passa de novo com o meu pequenote me entusiasma como a uma criança numa loja de doces. Caiu-lhe o segundo dente. Ele acredita na fada dos dentes. O entusiasmo dele ao adormecer com o dente debaixo da almofada e ao acordar para ver o que lá está de manhã é contagiante. Chego a casa e ensina-me um novo cumprimento para o "dá cá mais cinco". Diz que me ama até ao infinito. Vem da escola com as tiras de velcro dos ténis em cruz, porque foi um amiguinho que lhe ensinou. Foi, pela primeira vez, ao teatro, com a escola. Aprendeu este ano o que é o São Martinho. Festejou, pela primeira vez, o Halloween. Começou a ir a festas de anos sem ser de primos ou amigos da família, mas sim de amigos dele. Evolui a cada aula de natação e de ginástica. Tirou fotografias de turma (e individual) na escola. Se tenho mais trabalho desde que ele foi para a escola? Sim, tenho. Pedem-me que vá mascarado no Halloween, que compre material no início do ano, que assine mil e um papéis e autorizações, que mande castanhas no S. Martinho, que mande rolhas, fitas, cápsulas de café e materiais para trabalhos manuais, que o ajude a decorar uma estrela de Natal... para não falar que, com a natação e a ginástica, pouco tempo livre me sobra. Mas ele enche-me de orgulho, caraças!

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Na Cozinha da Cy #9

Salada

Uma salada simples, onde apenas juntei cebola, pepino, tomate e um ovo cozido e temperei com sal e orégãos. Simples!

sábado, 22 de novembro de 2014

Natal na escola

Venho aqui pedir-vos a vossa ajuda! 

O meu filho trouxe para casa uma estrela de cartão para nós decorarmos com ele e enviar de volta para enfeitar a sala dele. Ideias, dêem-me ideias!

O segundo pedido tem também a ver com as decorações de Natal na escolinha dele. As educadoras pediram para os pais mandarem cápsulas de café coloridas, como as da Nespresso, com preferência pelos dourados, vermelhos e verdes, mas se forem de outras cores, também aceitam. Se me puderem ajudar nisto... e reunir cápsulas destas para me enviarem eu agradecia profundamente.



sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Tamanho perfeito




Every inch of you is perfect from the bottom to the top
Yeah, my momma she told me don't worry about your size
She says, boys they like a little more booty to hold at night
You know I won't be no stick-figure, silicone Barbie doll


Já achava graça a esta música quando a ouvia na rádio, depois fui ver o videoclip e a letra e fiquei totalmente fã!


quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Da nudez

Hoje surgiu este tema no trabalho e confesso que não sei bem que opinião tenho acerca disto: a nudez perto dos filhos. Até há poucos meses, não impedia o meu filho de entrar na casa de banho quando eu lá estava, de entrar no quarto quando eu me estava a vestir ou de tomar banho comigo. Agora que ele está mais crescidinho, achei que talvez fosse altura de começar a incutir-lhe algumas barreiras. Já não toma banho comigo, só com o namorido e evito o resto também. No entanto, uma colega minha, que tem um filho de 19 anos, diz que não há preconceitos desses na casa dela, tanto ela, como o marido e o filho são capazes de sair do banho e passarem todos despidos uns pelos outros, na boa, ou estar na casa de banho de porta aberta. E a vossa opinião qual é?

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Eu vi um gatinho

Tem andado um gato preto aqui à porta do meu prédio que das duas uma: ou é vadio e alguém lhe deu comida, ou foi abandonado. Eu aposto mais no abandonado, porque ele é muito amigável. E os gatos de rua são esquivos, desconfiados. Este gatinho que anda aqui a rondar a rua não me largou hoje de manhã. Enquanto não saí da porta do prédio à espera da boleia para o trabalho, roçou-se nas minhas pernas como se não houvesse amanhã e miava, miava, miava. O meu filho achou-lhe um piadão!

domingo, 16 de novembro de 2014

Síndrome do coleccionador

O meu filho colecciona tudo o que possam imaginar. Não falo apenas de cromos ou destas garrafinhas de iogurte que aparecem na imagem.


A minha criança faz colecção de pacotes de lenços vazios, papéis de rebuçados, dos plásticos onde vêm as palhinhas, rolos de papel higiénico, rolhas, bolinhas feitas por ele com o papel  de alumínio onde embrulho o pão para o lanche dele... e toda a espécie de lixo que possam imaginar.

sábado, 15 de novembro de 2014

Closure issues




Por vezes, ao ver esta série, A Teoria do Big Bang, apercebo-me que tenho algumas semelhanças com este Sheldon. Ele só se senta num sítio do sofá. Sofro do mesmo problema, chego a pedir ao namorido para chegar para lá, só para eu ficar ali. O Sheldon é picuinhas com tudo o que possam imaginar. Eu também! E, neste episódio, é abordado o problema dele com finalizações. Começa com a frustração deste personagem quando uma série que ele acompanha é cancelada, ficando com o final pendente. Esta questão chateia-me MUITO, fico enervadíssima quando uma série que estou a ver entusiasticamente é cancelada. E nestes vídeos vê-se todo um rol de finalizações que ele precisa ver concretizadas. É engraçado e, assustadoramente, revejo-me! Terei um problema? 

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Da Casa dos Segredos

Sim, sei que muita gente fala mal, muita gente diz que é o lixo da televisão portuguesa, mas não me lixem. "Toda" a gente vê. E as aspas são pela pequena percentagem de pessoas que fala a verdade quando dizem que não vêem o programa. Porque as há.

Posto isto... para quem não vê, passem este post, não irão saber do que falo. Para quem vê, digam-me cá... esta Liliana não mete nojo já? Chifra o namorado de anos em plena televisão, anda aos amassos, beijos, strips e roça-roça com o outro. E tem a cara de pau de dizer que se preocupa com a imagem dela cá fora? Ahahahahah, adoro! É muito, mas muito bom.

Amor de filho

Filho: Amo-te até ao sol quando se põe! (o sol quando se põe está mais longe, não é, mãe?)

Ora... não é fofo?!

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Legionella

O pânico. Qualquer dia, andamos com máscaras na rua. A cada dia que passa, parece que surge uma qualquer porcaria nova para espalhar o pânico e minar a saúde das pessoas. Afinal, podemos tomar duche ou nem por isso? Os duches nos balneários, nos chuveiros públicos, são de evitar ou não há necessidade? O perigo está nos ares condicionados? Caramba, alguém que me elucide, que esta falta de informação dá-me cabo do sistema nervoso! Sim, porque... se há coisa que me perturba é perder o controlo. E este tipo de coisas é impossível de controlar, prever, contornar. Não gosto de me sentir impotente, especialmente em coisas tão graves e importantes como esta, em que é urgente descobrir a origem, como se propaga e que medidas tomar para prevenir.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Novidades... das boas!

Número um: a deixar de fumar! Duas semanas sem tocar no tabaco.
Número dois: vou inscrever o meu pequenote na ginástica amanhã. Ele foi a uma aula aberta e adorou aquilo!



domingo, 19 de outubro de 2014

Na Cozinha da Cy #8

Esparguete com atum e molho de tomate

Ingredientes:
Esparguete
3 latas de atum
Polpa de tomate
2 dentes de alho
1 cebola
Azeite

Preparação:
Cozer o esparguete. Refogar a cebola e o alho em azeite e polpa de tomate. Juntar o atum e envolver bem. Despejar por cima da massa. Delicioso!

sábado, 18 de outubro de 2014

Changeling - A Troca



Sinopse: Los Angeles, março de 1928. Christine Collins (Angelina Jolie), uma mãe solteira, se despede de Walter (Gattlin Griffith), seu filho de 9 anos, e parte rumo ao trabalho. Ao retornar descobre que Walter desapareceu, o que faz com que inicie uma busca exaustiva. Cinco meses depois a polícia traz uma criança, dizendo ser Walter. Atordoada pela emoção da situação, além da presença de policiais e jornalistas que desejam tirar proveito da repercussão do caso, Christine aceita a criança. Porém, no íntimo, ela sabe que ele não é Walter e, com isso, pressiona as autoridades para que continuem as buscas por ele.

Opinião: Já o vi mais do que uma vez e recomendo! A história mostra uma mãe lutadora, que nunca desiste da busca pelo filho, que enfrenta tudo e todos, mesmo estando o mundo contra ela, para tentar encontrá-lo. É comovente, triste, uma lição de vida e baseado em factos reais. Nem quero pensar se uma coisa destas me acontecesse, dava em louca, decerto. Angelina Jolie num papel espectacular, um filme que eu gostei muito.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Estreias do pequeno


1º dia de natação

Ele gostou, apesar de ter choramingado ali numa altura, aflito com o que o professor os mandou fazer, mas ele tranquilizou-o, foi ajudando, como ele nunca tinha tido aulas de natação. O meu coração encheu-se de orgulho, ao ver o meu peixinho na água, a sorrir e a acenar para nós. É lindo o meu bebé!



1º dentinho a cair

Opa, que graça. Adoro! E o que ele diz às pessoas? "Tenho um dente caído!"

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Dia Mundial da Alimentação

Sabiam que dia 16 de Outubro é o Dia Mundial da Alimentação? É que eu não fazia ideia... serei assim tão alheada? Ou isto passa mesmo despercebido a toda a gente? Fiquei a saber hoje, porque me entregaram na escola do meu filho um papelinho a dizer que vão celebrar este dia na escola a fazer espetadas de fruta com as crianças e a pedir para colaborarmos, mandando uma peça de fruta. Ser criança é bom, mas ser mãe de uma é entusiasmante. Amanhã também começa a natação. Mal posso esperar!

domingo, 12 de outubro de 2014

Fim-de-semana

Ontem foi um dia cansativo. Passei o dia em limpezas e a cozinhar. Mas a recompensa foi boa. Jantarzinho de amigos, com amigos que já duram há anos, mesmo que não sejam pessoas que vejo muito frequentemente, há sempre conversa e boa-disposição. Amigos de verdade!

Tivemos cheesecake de morango (uma perdição feita pela minha melhor amiga, porque eu já não tive tempo), pãezinhos com chouriço (feitos pela minha avó materna, que tem uma mão de ouro para isto!), tarte de amêndoa, carne à brás, quiche de atum e cogumelos, rissóis de carne e de camarão, croquetes, queijo, paté de delícias do mar e de atum, tostas, batatas fritas, chocolates, azeitonas, brigadeiro, cerveja, sumo, vinho... e música!

É certo que hoje tenho muito que limpar novamente, mas valeu a pena! ;)
E o que eu adoro este domingo chuvoso? Tão, tão bom!

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Dia preenchido!

Hoje foi dia de inventário lá na fábrica. E dispensaram os temporários todos, dando-nos um dia de férias. Coisa inédita, porque ali (e, provavelmente, nos outros sítios também) os temporários são sempre os escravos, que fazem horas (antecipações e prolongamentos), feriados, sábados, domingos, dois turnos seguidos, vão para onde lhes mandam e não piam, não têm direito a ficar doentes, a ter filhos doentes, reuniões da escola, consultas, ou qualquer tipo de assunto pessoal a tratar. Portanto, este dia de férias que nos deram para que fossem as pessoas da casa a fazer o inventário foi como mel. 

Mas acabou por ter um sabor agridoce. Sim, soube bem, fim de semana prolongado, no dia em que recebemos o ordenado. No entanto, o dia foi assim: água, gás, renda, luz e tv/telefone/net/telemóveis tudo pago. Uma prestação do Jumbo paga. Última prestação do carro paga. Dinheiro que devia à mãe pago. Prestação do computador paga. Compras para a casa feitas. Seguro de saúde pago. É deprimente, não é? Para não falar do facto de ter tido 1001 coisas para fazer ao longo do dia e não ter parado em casa, senão para arrumar compras, pôr roupa a lavar e estender outra.

Concentremo-nos, porém, nas coisas boas, que também as há. Cabeleireira: check! Cabelo pintado como prenda de aniversário. Filhote mai lindo inscrito na natação para começar na próxima semana. Estou morta de curiosidade por vê-lo lá. A cada dia que o vou levar e buscar à escola, saio de lá com um sorriso. Os miúdos são tão engraçados! Falam comigo. Um deles hoje disse-me "Eu sei que tu és a mãe do L.! Eu sou o André, o amigo dele." e uma das meninas (que já veio com ele do infantário) diz-me o seguinte: "Eu ando sempre com ele porque sou a namorada dele!". Ahah! E o meu filho confirmou, sim senhor. Não são amorosos?

Outra coisa boa (e sensata, penso eu) que decidi fazer hoje foi abrir uma conta-poupança. Daquelas onde não se pode mexer, porque sei que, se puser o dinheiro de parte, vou acabar por mexer-lhe por precisar. Assim, é como se nem existisse.

Sei que hoje estou especialmente tagarela, mas tenho a genica toda do dia ainda a correr-me nas veias! Resolvi fazer uma festinha de Halloween para o meu filho e alguns amiguinhos no fim do mês. Sei que isto não é uma tradição portuguesa (apesar de já se manifestar por cá), mas já andam a passar na tv desenhos animados de Halloween, ele já sabe o que é e acha-lhe graça, quer mascarar-se e pedir doces, enfim. Acho que é uma ideia que lhe vai agradar e para o ver feliz faço tudo!

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Livros que recomendo #6



Sinopse: Após a morte da mãe, as jovens e belas gémeas Nutan e Zeenat vêem-se forçadas a abandonar a paradisíaca ilha de Bali e a protecção da sua avó, uma grande especialista em magia, tradições e lendas, para se instalarem em Londres, onde tentam ganhar a vida trabalhando num café. Aí conhecem Ricky, um jovem sedutor siciliano que lhes abre as portas do Templo da Aranha, um local decadente e excessivo que mudará para sempre as suas vidas. Um pintor, a amante de um milionário, uma prostituta e um cabeleireiro de sucesso, todos eles habitantes deste romance, acompanham as duas irmãs nesta aventura carregada de sentimentos, que percorre a frágil fronteira entre a vida e a morte, a corrupção e a inocência.

Opinião: A sinopse diz tudo, aconselho vivamente. É uma lição de vida, uma história bem realista e um verdadeiro "abre-olhos". Leiam! :)

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Bebés


Olha só... pobre criança, ahah! Este vídeo foi encontrado quando estava a ver este abaixo, que o meu filho adorou, chorou a rir. A bebé é mesmo fofa, ahah!


segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Força de vontade

Hoje comecei a fazer exercício físico. Com o meu namorido. Acabaram-se as desculpas e a preguiça. Existe uma ciclovia e um circuito com máquinas aqui perto de casa e fizeram uma ciclovia nova também. Para além de que tenho uma passadeira em casa. Está na hora de ser um bocadinho mais saudável.

Mas devo dizer... que estou toda partida!

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Sacrifícios de mãe solteira

Quando existe uma criança entre duas pessoas que estão separadas, a pessoa que fica com a guarda da criança é sempre penalizada. Se alguma vez pensei na hipótese de o meu filho ficar com o pai? Não. Nunca. Nunca, nem por um único momento. Não seria capaz, viveria sempre ansiosa se não o tivesse comigo. Isto é um facto irrefutável.

No entanto, a verdade é que ter uma criança sempre dependente de mim afecta tudo o que eu poderia ter feito e não fiz. Não posso dizer que me arrependo, o meu filho é o que de melhor tenho e é a minha força, sempre que me vou abaixo por qualquer motivo.

Posto isto, o pai da criança emigrou quando ele tinha dois anos. Fez a vida dele lá. Tem um trabalho na área dele. Ganha bem. Viaja. Sai quando quer. Vai onde quer. Não tem ninguém a depender dele todos os dias. Não tem que conjugar horários com os de uma criança. Não tem rotinas obrigatórias. 

Eu? Estou no mesmo sítio onde estava há 6 anos atrás, pouco do que tinha planeado e sonhado foi concretizado. Trabalho temporário, fora da minha área, não viajo, não saio, raramente compro seja o que for para mim, tenho a vida estagnada. E como tenho pouco, o que tenho é direccionado para que o meu filho tenha o melhor que lhe posso dar e para que não lhe falte nada.

Fico feliz e de coração cheio olhando para tudo o que o meu filho já passou. Desde o nascimento, quando foi vestido com aquela roupinha fofa amarela, passando pelos primeiros passos, as primeiras palavras, os primeiros sorrisos, os dentinhos a romper, a aquisição de novos gostos e apetites, o momento em que largou a fralda e a chucha, a entrada no infantário, os aniversários, as brincadeiras, os amiguinhos, as palhaçadas, a entrada na pré... e todas as suas características que o tornam quem é e o lindo rapazinho que me cresce todos os dias diante dos olhos. Ele preenche-me.

Mas, para além do meu filho, a única coisa que tenho é o meu noivo. Sim, também tenho pais que me dão toda a ajuda que podem (que é muita).

Mas... Passo metade do mês sem dinheiro. Quando tento juntar para qualquer coisa (como o casamento), acabo por ter que usar o dinheiro. Roupa não compro, cinema é um luxo, jantar fora sai caro, ir onde quer que seja é dinheiro que não posso gastar. Existem tantos sítios (mesmo dentro do país, já nem falo em viajar para fora) onde gostava de ir, tantos planos que tenho, tanta vida por viver. E vejo o tempo a passar e tudo a ficar para trás.

domingo, 28 de setembro de 2014

Livros que recomendo #5



Sinopse: Naquele que seria o dia mais decisivo da sua vida, Mary - filha de humildes pescadores da Cornualha - traçou o seu destino ao roubar um chapéu.
O seu castigo: a forca.
A sua única alternativa: recomeçar a vida no outro lado do mundo.
Dividida entre o sonho de começar de novo e o terror de não sobreviver a tão dura viagem, Mary ruma à Austrália, à época uma colónia de condenados. O novo continente revela-se um enorme desafio onde tudo é desconhecido… como desconhecida é a assombrosa sensação de encontrar o grande amor da sua vida. Apaixonada, Mary vai bater-se pelos seus sonhos sem reservas ou hesitações. E a sua luta ficará para sempre inscrita na História.

Inspirada por uma excepcional história verídica, Lesley Pearse - a rainha do romance inglês - apresenta-nos Mary Broad e, com ela, faz-nos embarcar numa montanha-russa de emoções únicas e inesquecíveis.



Opinião: É uma das escritoras que gosto de ler e este livro é absolutamente fantástico. É uma história de força, baseada numa história verídica, o que a torna ainda mais incrível. Uma lição de vida. Mostra uma vida dura e uma luta interminável desta mulher que, apesar de tudo o que passou, nunca deixou de lutar por algo melhor, fazendo o que podia com o que tinha. Recomendo vivamente, é espectacular.



sábado, 27 de setembro de 2014

Da minha janela

Ontem foi assim...





E hoje está assim...



Se há coisa que adoro é este tempo lá fora. Bem-vindo!



quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Filho de pais separados

Há por aqui alguém nesta situação? O meu filho nunca conheceu a realidade de ter os pais juntos. Sempre em casas diferentes e nunca enquanto casal. O pai emigrou há mais de três anos. Vem cá pontualmente. E, para mim, à medida que ele vai crescendo, as coisas só pioram. Não existe muito acordo quanto ao que é melhor para ele. Quando o pai dele cá está, digo-lhe como deve proceder e ele poucas vezes faz o que lhe digo. Muita coisa faz que eu acho errado. É pai dele? Sim. Mas só o vê duas vezes por ano, não é normal que EU, que cá estou com o padrasto dele, saiba o que é melhor? Nós é que o acompanhámos ao longo do infantário, passamos por todas as fases com ele, estivemos presentes quando largou as fraldas e a chucha, sabemos o que ele come, o que gosta, a quantidade que é suficiente para ele ficar satisfeito, os hábitos e rotinas. Nós é que vamos com ele ao médico, acompanhamos todos os exames. Nós é que estivemos no hospital com ele quando esteve internado por ter meningite viral. Nós é que lhe damos banho, criamos rotinas e impomos regras. O meu filho é uma criança que facilmente fica doente, apanha uma brisa e constipa-se logo. Coisas como andar só de meias no chão não podem acontecer. Há muita coisa na maneira como o pai dele lida com o meu filho que me faz espécie. Desde coisas sem importância como vestir-lhe roupa que já está pequena para ele, a coisas graves, como esquecer-se de lhe mandar lanche para a escola. Sim, porque este ano decidiu que, como a criança entrou para a pré, queria acompanhar a entrada do ano lectivo. Veio, ficou com ele meia dúzia de dias e foi isto que aconteceu. Entre muitas outras coisas que não vou explorar aqui por não vos querer maçar com a minha vida pessoal e porque seria uma lista interminável. Ser pai biológico dele e mandar dinheiro todos os meses não é suficiente para conhecer o filho. Caraças, que só de pensar que terei de lidar com isto a vida inteira faz-me urticária!

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Quando ter filhos?

Isto de ter filhos, hoje em dia, é muito complicado. Temos as pessoas que dizem que tudo se cria, que onde comem dois, comem três e por aí fora. Que dantes as pessoas tinham ranchos de filhos e que se criavam. A verdade é que a maior parte dessas famílias numerosas passavam dificuldades. E eu não quero ter muitos filhos e poder dar-lhes apenas o mínimo, prefiro ter um e poder dar-lhe o máximo. Sim, quero outro. Ou mais dois, até. Mas quando é a altura certa para isso? Esperar por estabilidade? Quais são as garantias, neste momento de crise, com esta falta de emprego, com estes ordenados, com estes contratos temporários e tudo o mais? O meu filho entrou este ano na pré. Daqui em diante, é sempre a aumentar os gastos escolares. Sou temporária, o meu noivo também. Renda e contas. Alguém me explica como é que é possível ter uma segunda criança se, com uma, já é preciso fazer uma grande ginástica orçamental?

domingo, 21 de setembro de 2014

Ainda do casamento

Ora... já matei a cabeça com isto dos preparativos. O orçamento é baixinho, muito baixinho comparado aos preços praticados nos locais que fazem estes eventos. Não tenho capacidade financeira para suportar o tipo de festa que tem tudo. Vai daí... comecei com uma lista de convidados (das duas partes) de 150 pessoas. Acabámos por reduzir para 90. E, finalmente, para 52, perfazendo, connosco, um total de 54 pessoas. E mais que isto não conseguimos reduzir. Dou-me com toda a minha família, foi um custo enorme decidir quem cortar, acabei por cortar da lista quase toda a gente, tios e primos, porque se convidasse uns, tinha que convidar os outros. Mantive poucos e as pessoas não podem levar a mal (podem?) porque eu, simplesmente, não posso pagar um lugar para tanta gente. Encontrei um ou dois sítios que fazem preços mais simpáticos (embora com condições diferentes, mas não se pode ter tudo...). Ainda assim, entre reduzir drasticamente a lista ou cobrar aos convidados o valor do lugar deles, decidi reduzir. Se teremos toda a gente que queríamos a assistir? Não. Não teremos. Mas é para o que dá!

Dos vestidos de casamento, quase entrei em choque ao ver os preços. Sabia que eram caros, sim. Mas, caramba, quem é que pode dar 3000€ por um vestido?! A sério? Não... Vi um ou outro mais baratos... e vi alguns que, não sabendo o preço, sempre posso pegar na foto e correr as lojas de noivas e costureiras para me informar. O meu preferido é o 3º que, por acaso, é um dos que não sei o preço. Vejam lá o que acham!










Das alianças, já tenho quem mas pague. O meu padrinho, fofo que só ele, ofereceu-se para nos comprar as alianças. Queridinho! Ando a ver, com um orçamento máximo de 200€ para o par. As de ouro andam a rondar dos 300€ para cima apenas UM dos anéis. Valha-nos Deus, onde é que isto vai parar? Eu já não gosto muito de ouro e, ao ver os preços, desisti completamente. Vou optar, provavelmente, pela prata, como os meus anéis de namoro e noivado. As opções que tenho em vista, até agora, são estas (com uma grande preferência pelas primeiras):









Por agora, não vos maço mais com isto. Em breve, venho mostrar mais algumas das ideias que tenho em mente! Deêm-me lá as vossas honestas opiniões :)


Bitaites de uma não-mãe

Há poucos dias vi um post da Pólo Norte sobre isto e agora no facebook uma amiga postou um vídeo sobre este mesmo assunto. Coisas que as mulheres afirmam categoricamente antes de terem filhos e que, muitas vezes, lhes rebentam na cara depois de serem mães. Coisas como...

- os meus filhos nunca se vão sujar assim tanto
- os meus filhos vão largar as fraldas com 18 meses
- os meus filhos nunca vão comer fastfood
- quando tiver filhos vou continuar a viajar
- a minha casa nunca vai ter tantos brinquedos desarrumados, porque eu vou ensinar aos meus filhos que têm que arrumar o que desarrumam
- os meus filhos nunca farão birras em público, vou ensinar-lhes a portarem-se bem logo desde cedo
- os meus filhos nunca me vão interromper
- os meus filhos vão ouvir-me sempre, mantendo-os numa rotina rígida, eles vão aprender e vão fazer o que eu quero
- os meus filhos nunca vão gritar no carro
- nunca vou dar açúcar, nem refrigerantes aos meus filhos
- os meus filhos nunca vão andar a passear pelo restaurante depois de acabarem de comer
- os meus filhos nunca vão dormir comigo
- os meus filhos vão largar a chucha com um ano


E por aí fora... é muito fácil estar de fora e mandar postas de pescada. Acreditem, também já estive desse lado. Depois de ser mãe, há muita coisa que muda. 

Se tentei que ele largasse a fralda cedo? Sim, tentei. No entanto, ao fim de não sei quantas noites a molhar o pijama, os lençóis e o colchão, levantar a meio da noite, tentar que ele fizesse xixi no penico ou no WC e ele a refilar que não queria, mudar lençóis durante a noite... desisti e esperei, simplesmente, que ele começasse a acordar seco para lhe tirar a fralda.

Se tento que ele coma equilibradamente? Claro que sim, no entanto, de vez em quando, come pizza, cachorros, McDonalds... eles gostam, não dá trabalho e não é a mesma coisa do que deixá-los comer a toda a hora! Tal como os doces...

Quanto a passear no restaurante? Tentem lá manter uma criança impaciente e irrequieta, de barriguinha cheia, sentada numa cadeira sem nada com que se entreter durante meia hora, enquanto tentam acabar a vossa refeição.

Dormir comigo? Dormiu muito, sim. Custou a tirá-lo para a cama dele, um bocadinho. Mas fez-se. Muitas vezes, desistia de tentar que dormisse na cama dele, porque não adormecia, porque me chamava e nenhum de nós dormia, porque tinha que acordar cedo e nenhum dos dois descansava... enfim.

Viajar? Planos com crianças? Muito bem pensadas e, a ir sem eles, sempre dependente dos avós, da tia, da madrinha... E não se vai, simplesmente, em qualquer momento e de qualquer maneira.

Enfim, podia continuar... mas é isto!

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Almofada de jardinagem



Aqui está a almofada de jardinagem que nos pediram para comprar na escola, para os meninos sentarem o rabinho sem estar directamente no chão. Não é fofo?

sábado, 13 de setembro de 2014

Casamento em que cada um paga o seu

Ando a pesquisar informações e sítios, orçamentos, alianças, vestidos, etc... para poder ir em frente com o meu casamento. Se sabia que dava trabalho? Sabia, mas já tenho a cabeça feita em água. E porquê? Poque não há dinheiro! É o problema. Sempre. 

Sei de pessoas que já fazem casamentos assim, em que cada convidado paga a sua parte, seja num serviço de catering (que sai mais caro, segundo o que me apercebo, porque inclui sempre mais coisas), seja num restaurante (em que cobre apenas a refeição e pouco mais). Qual é a opinião por aqui acerca disso?

Já ouvi várias pessoas dizerem que é de mau tom pedir dinheiro aos convidados e que quem quer casar, espera até ter dinheiro ou então não casa. Ora... se eu nunca conseguir ter condições, sendo assim, nunca irei casar. É isto? Se a maior parte das pessoas oferece prenda no dia do casamento, porque não pagar a refeição em vez da prenda? Hum. É uma questão polémica e que, de momento, me está a fritar o cérebro, por não fazer ideia se sigo por esse caminho ou não!

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Ainda na saga da escola...

A reunião do pré-escolar durou duas horas e meia! Uma reunião com todos os pais do pré-escolar, três turmas, no refeitório, com uma representante da associação de pais, uma da câmara, a coordenadora da escola, as educadoras, auxiliares e o diabo a sete. Tempos e tempos no refeitório da escola, para depois ir ter uma reunião mais pequena, apenas com a educadora e a auxiliar da salinha dele e os pais dos meninos que vão ficar na mesma sala. Quem podia imaginar que uma reunião da pré-escola podia durar tanto tempo?

Anyway... a escola é muito fofa, gostámos das educadoras, do espaço... vamos levá-los à sala e não apenas à porta da escola, por serem ainda da pré. Temos que lhe comprar um bibe, um chapéu, sapatilhas para ginástica e... uma almofadinha de jardinagem, coisa que nunca tinha visto até ontem, para eles se sentarem no chão em cima daquilo. Têm actividades de dança e movimento, expressão dramática... acho que ele vai gostar daquilo. A ver vamos na próxima semana, quando a escola começar, como corre!

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Preocupações de uma mãe

O meu filho vai entrar para a pré-primária daqui a uns dias. Para já, está, temporariamente, no infantário que frequenta há três anos. Segundo sei e me dizem, o horário da pré-primária costuma ser a partir das 9h da manhã. Ora... eu entro ao trabalho às 8h. O meu noivo também, bem como a minha mãe. E o meu pai ainda mais cedo. A minha irmã vai para a universidade. A madrinha do meu filho começa a trabalhar na 2ª feira. A moça do infantário não pode vir buscá-lo cedo para o ir levar à escola, porque mudou de instalações e agora está um pouco mais longe, não lhe dá jeito fazer o trajecto. Bom... posto isto, estou lixada com F grande, porque não sei o que hei-de fazer. Sei que a escola tem prolongamento de horário até às 17h30, após o horário escolar terminar, mas não faço ideia de como é antes do início das aulas. Só me sabem dizer qual o horário na 2ª feira, só depois disso é que há reunião de pais, ninguém me sabe dizer ainda nada e estou a começar a panicar um bocadinho!

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Na Cozinha da Cy #7

Cordon bleu com fusilli

Ingredientes:
Massa fusilli
Manteiga
Limão
Alho moído
Manjericão
Sal
Bifes de frango
Queijo
Fiambre
Pão ralado
Ovo

Preparação:
Cozer a massa. Derreter manteiga juntamente com sumo de limão, uma pitada de manjericão e alho moído e despejar sobre a massa. Temperar os bifes com sal e alho moído, colocar uma fatia de fiambre e outra de queijo sobre cada bife. Enrolar, prender com palitos, passar por ovo e pão ralado e fritar.

domingo, 31 de agosto de 2014

Crescimento


5 anos, a caminho dos 6, prestes a entrar para a pré-escola. Coisinha mais linda da mãe, que cresceste tão depressa!

Desafio

Vi este desafio no blog Trapinhartes e resolvi trazê-lo comigo, para dar a conhecer mais um pedacinho de mim. 

1- O que você não sai de casa sem?
Telemóvel e tabaco.

2- Animal favorito?
Nunca me consigo decidir entre o golfinho e o pinguim! Agora, falando de animais domésticos, I'm more of a cat person.

3- Sapato favorito?
Sabrina e chinelo de enfiar no dedo. Do mais confortável possível.

4- Produto de maquilhagem indispensável?
Lápis dos olhos.

5- Maior sonho?
Oh, tenho tantos. Vou escolher... Ter um negócio próprio.

6- Maior defeito?
Ui! Preguiça?

7- O que te irrita nas pessoas?
Preconceito (de qualquer tipo).

8- Comida favorita?
Bacalhau à brás.

9- Doce ou salgado?
Doce.

10- O que te deixa feliz?
O sorriso do meu filho.

11- Escolha 5 blogs para fazer este desafio.
Não digas nada a ninguém
PinUp Me
Pretty in Pink
Flor Criativa
Quarenta and counting

sábado, 30 de agosto de 2014

Shattered Silence - E acerca do bullying...






Vi este filme ontem na televisão e gostei. Na FoxLife passam muitos filmes dramáticos, baseados em histórias verídicas. Este não sei se também é, mas mesmo não sendo, é uma história demasiado aproximada do que se passa na realidade, infelizmente.

A personagem principal chama-se Dina e o filme começa com ela a caminhar em direcção ao cacifo da escola (2ª foto), com toda a gente a olhar para ela e a rir-se. Quando abre o cacifo, caem uma série de preservativos no chão. Após isto, ela vai para casa e grava um vídeo no computador. Quando a mãe chega a casa, encontra-a enforcada no quarto e o filme começa, a partir daí, a contar o que se passou com esta adolescente que, seis semanas antes era popular, feliz e rainha do baile de finalistas. É a luta da mãe da Dina para deslindar aquilo por que a filha passou e qual o motivo que a levou a cometer suicídio. É, no fundo, um filme sobre a crueldade de que as pessoas são capazes. 

Não é o primeiro filme que vejo sobre bullying, este tipo de coisa toca-me sempre. Especialmente, desde que fui mãe, e agora que se aproxima o momento de o meu filho entrar para a escola, tenho um medo terrível de que este tipo de atitudes possa afectá-lo. Espero, acima de tudo, que ele nunca seja uma vítima na escola. As pessoas tendem a dizer que isso do bullying é um exagero, que as crianças são crianças e fazem maldades uns aos outros. Pois é... mas, pelo menos, hoje em dia (porque não me recordo de na minha altura ser assim tão mau), os putos são maus. O sobrinho de uma amiga minha, com seis aninhos, foi espancado por miúdos de dez. Foi internado no hospital. E tudo porque quis jogar à bola com eles. E tudo o que o menino disse à família foi "Eu só queria brincar com eles". Isto é coisa para me fazer vir as lágrimas aos olhos. Não é um exagero. Não são coisas de miúdos. É maldade pura!