terça-feira, 30 de maio de 2017

Aulas de grupo

Pessoas que treinam em aulas de grupo... coisas que devem evitar:
- Leggings cinzentas de algodão. Vão por mim, demasiada transpiração visível nessas calças é um flagelo;
- Calças transparentes. Muitas tangas à vista e, já agora, etiquetas;
- Blusas curtas. Ok, esta não é para todas, mas para aquelas meninas cujo corpo não se ajusta a estes tops, seja qual for a razão. É que, das duas uma: ou passam a aula a puxar a blusa para baixo ou ela passa o tempo todo enrolada cá em cima;
- Treinarem em cima dos outros. Espaço pessoal, gente!
- Soutiens que não suportem bem o vosso peito. A sério, meninas, maminhas a bater no queixo não é bonito;
- Selfies durante as aulas. Really? Mas estão a treinar ou a tirar fotos para o facebook? É ridículo estarem todas a fazer o que a instrutora diz e vocês no meio de roda do telemóvel para apanhar a melhor pose. Pelo menos, esperem que acabe a faixa!

E vocês que me lêem, têm alguma sugestão a acrescentar?

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Na Cozinha da Cy #27

Esparguete com salsichas e bechamel

Não fiz isto com medidas, por isso, deixo ao vosso critério as quantidades. Basta cozer o esparguete e deitar num pirex com salsichas cortadas às rodelas (eu uso as de cachorro quente), envolver em bechamel, polvilhar com queijo ralado por cima e levar ao forno a gratinar.

É possível amar assim?



Ontem, enquanto cantava a canção de embalar ao meu filho (sim, porque, com 8 anos, ele insiste que lhe cante a lullabye que o ajudava a adormecer em mais pequeno), abraçada a ele na cama, apercebi-me, mais uma vez, que o amor que sinto por ele transborda para fora do peito. É uma coisa fantástica, que acredito só ser entendida depois de se ter filhos (pelo menos, comigo foi assim), porque não há coisa igual, nem remotamente comparável. 

(Sim, no vídeo, sou eu a cantar a tal música para ele)

sábado, 27 de maio de 2017

Séries viciantes #14 \\ Chuck


Sinopse: Chuck Bartowski trabalha na loja Buy More de Burbank, uma cadeia de lojas de produtos eletrónicos, juntamente com o seu melhor amigo, Morgan Grimes. A irmã de Chuck, Ellie, e o agora marido, Devon "Capitão Incrível" Woodcomb, são médicos e estão constantemente a encorajar Chuck a fazer progressos na sua vida romântica e profissional. No princípio da série, Chuck recebe um e-mail de Bryce Larkin, o seu antigo colega de quarto da Universidade de Stanford, que agora é, aparentemente, um agente "renegado" da CIA. Quando abre o dito e-mail, toda a base de dados de todos os segredos governamentais dos Estados Unidos — um super neurocomputador chamado Intersect — é instalado no seu cérebro. Tanto a NSA como a CIA querem a tecnologia devolvida e por isso, enviam agentes seus, o Coronel John Casey e a Agente Sarah Walker, para recuperar os dados. Chuck, Sarah e Casey enfrentam conflitos profissionais à medida que o respeito entre eles cresce e à medida que um interesse romântico genuíno cresce entre Chuck e Sarah. O desejo de Chuck de manter as suas antigas ligações e eventualmente voltar a uma vida normal é desafiado por perigos e crescentes responsabilidades da sua nova vida secreta, de tal modo que ele se torna, de forma gradual, num agente mais disposto, competente e confiante.

Sarah, Chuck e Casey

Chuck pronto para a luta

Chuck e Casey no natal da Buy More

Chuck e Sarah em posição de ataque

Chuck e Sarah

Chuck e Morgan

Opinião: Esta foi uma das séries que vi chegar ao fim, com muita pena minha, pois gostei muito de a acompanhar. Tem os seus momentos sérios e de acção, mas tem, sobretudo, muitos momentos divertidos. É curioso ver a evolução de Chuck ao longo das seis temporadas, pois a personagem muda bastante. A sua postura inicial é hilariante e a essência mantém-se sempre, apesar de assistirmos a um crescimento. Depois temos a relação super querida dele com a Sarah, a forma como ele e Casey se aproximam, apesar do mau feitio deste último, e ainda os personagens cómicos que trabalham na Buy More. Uma série fácil de ver e gostar.

Pequenos artistas

Aqui na minha zona, existe um projecto que envolve todo o universo escolar do concelho, promovendo e divulgando os trabalhos desenvolvidos pelas escolas em áreas expressivas e/ou artísticas. Assim, as turmas organizam-se com os respectivos professores para subir ao palco e representar, dançar, cantar, recitar... e ontem foi o dia da turma do meu príncipe. Infelizmente, porque estava longe do palco, apesar de se ver perfeitamente bem de onde eu estava, não era fácil tirar fotos que os apanhassem claramente. Mas deixo-vos com algumas.














Acho estas iniciativas uma graça, os pequenos são super giros a actuar, concentradíssimos nos seus papéis e funções, orgulhosos do seu trabalho. E os pais babadíssimos, claro. E mais orgulhosos ainda!

quinta-feira, 25 de maio de 2017

A falta de solidariedade


Como alguns de vocês já saberão, eu tenho um projecto de solidariedade, chamado Luta Por Um Sorriso, que pretende ajudar famílias carenciadas e que o tem feito, dentro dos possíveis para um grupo pequeno e com poucos recursos. A nossa actividade tem altos e baixos, conforme as nossas possibilidades, porque, na verdade, temos que investir, além do nosso tempo, algum dinheiro do nosso bolso, se pretendermos organizar eventos, angariações, ou workshops, como já temos feito, fazer publicidade aos mesmos e pagar combustível para entregas às famílias que apoiamos. Por isso, por vezes, não podemos fazer tanto como gostaríamos. A minha amiga que fundou o projecto comigo publicou recentemente, no seu facebook pessoal, um vídeo de uma das famílias que apoiamos com alguma regularidade, a mostrar como tem sido o dia-a-dia deles, porque há cerca de 6 meses, a mãe sofreu um acidente grave e tem estado todo este tempo no hospital, em recuperação lenta. Ao estar internada, foi-lhe retirado o subsídio que recebia, tem 3 filhos para criar. Tem sido uma situação difícil. Mas não é a única família que temos em condições muito precárias. E, frequentemente, partilhamos nos nossos facebooks (pessoais e da página) apelos ou divulgamos os nossos eventos, no sentido de angariar alguns fundos e/ou bens alimentares para estas pessoas. Cada uma de nós tem cerca de 200 "amigos" nessa rede social. Quantas julgam vocês que ligam aos nossos apelos? Pois... poucas, muito poucas mesmo. Se cada uma destas pessoas que temos adicionadas doasse, de vez em quando, ainda que fosse apenas uma vez por mês (acreditem que eu sei bem demais o que é contar os trocos), 1€ ou 2€, um bem alimentar, imaginam o que conseguiríamos reunir? Mas não. E se, por um lado, sei que há, genuinamente, pessoas com dificuldades e que não podem dispensar nada, também sei igualmente que a esmagadora maioria, simplesmente, ignora e faz de conta que nada se passa, porque só pensam no próprio umbigo. E é triste. E cansativo. É uma actividade desgastante, não tanto pelo trabalho que implica fazermos as compras, as entregas, organizarmos as doações, carregar coisas escadas acima e abaixo, perder umas horas do nosso tempo livre para dedicar a essas pessoas, porque isso, no fim, é gratificante e compensador... mas, principalmente, por termos que andar, praticamente, a pedir esmola para ajudar quem precisa. A essas pessoas só me apetece dizer que, um dia que sejam eles a precisar, não recorram a nós...

quarta-feira, 24 de maio de 2017

TAG Liebster Award


Olá, minha gente. As meninas Jess e Rose, do blog jess&rose (visitem, eu já sou seguidora!) escolheram o Bitaites como um dos eleitos para responder à Tag Liebster Award. Agradeço a nomeação e, graças a elas e às suas perguntas, ficam a conhecer um pouco mais de mim neste post.

Regras:
- Escrever 11 factos sobre mim
- Escrever 11 perguntas para os blogs nomeados
- Responder às perguntas de quem o nomeou
- Indicar entre 11 a 20 blogs com menos de 200 seguidores
- Colocar o Selo da TAG LIEBSTER AWARD
- Indicar os links de quem identificar

11 factos sobre mim:
- Não tenho carta de condução;
- Não uso calças de ganga;
- A gravidez do meu filho não foi planeada;
- Em miúda, frequentei ginástica e natação;
- O meu apelido é um legume;
- Gosto de bonecas de porcelana, caixinhas de música e dreamcatchers;
- Tenho um projecto de solidaridade, que podem conhecer aqui;
- O nome do meu filho foi escolhido pelo pai;
- A minha cor favorita é o roxo;
- A única pessoa mais gulosa do que eu que conheço é o mais-que-tudo;
- Sou obcecada com as limpezas.

11 perguntas para os blogs nomeados:
1. Qual é o momento da tua vida que recordas com mais saudade?
2. Tens alguma cicatriz? Do quê?
3. Qual é a tua mania mais irritante?
4. Há quanto tempo és blogger?
5. O que te levou a criar o blog?
6. Quais são os teus objectivos para o próximo ano?
7. Quais as maiores diferenças na tua pessoa desde que criaste o blog em relação ao que és agora?
8. És pessoa de gatos ou cães?
9. O que é que te mexe com os nervos?
10. Quais são as tuas paixões?
11. Quem não conheces e gostavas de conhecer?

As perguntas que me foram indicadas:
1- Onde esperas chegar com o teu blogue?
Não tenho expectativas, na verdade. Criei o blog numa fase mais dark da minha vida, em que nem dava muita importância a isto e passava meses sem publicar. Foi criado mais em jeito de desabafo. Agora, tento dar-lhe mais atenção, porque gosto de escrever e até gosto da interacção entre bloggers.

2- Se quisesses escolher a música da tua vida, qual seria?
A sério, isto não é pergunta que se faça, eheh! É muito difícil, não consigo mesmo eleger uma. Para cada fase em que estou, há uma música que é "a música da minha vida" nesse momento. Mas nunca é a mesma.

3- Qual a tua viagem de sonho?~
Itália, sem dúvida.

4- Se tivesses todo o tempo do mundo para te dedicares a alguma coisa, ao que seria?
Aos meus sonhos e à minha família. Poder participar a 100% em tudo na vida do meu filho (sem nunca faltar a reuniões ou eventos e poder ser sempre eu a levá-lo e buscá-lo à escola e às actividades), dedicar mais tempo à minha relação, viajar em família, conhecer sítios novos, desenvolver o meu projecto de solidariedade.

5- Chocolate, sim ou não?
Sim, sim, sim!

6- Qual a tua maior ambição?
Again, tough choice! Ter um negócio próprio. Ser mãe a tempo inteiro. Conhecer o país de lés a lés. 

7- O que te faz feliz?
Dormir sem hora para acordar. O sorriso do meu filho. Um abraço do B. 

8- Para ti, o blogue é um “trabalho” ou um hobbie?
Hobbie.

9- Quanto tempo consegues estar sem olhar para o telemóvel?
Horas, se ele não tocar e eu estiver entretida com outra coisa, eheh.

10- Se pudesses escolher um superpoder, qual querias?
Teletransporte.

11- Qual o teu lema de vida?
Ser sempre optimista e ver o copo meio cheio.


Blogs que nomeio para responder a esta tag:
(não são 11, mas valem a pena visitarem!)
Marés

Bloggers que nomeei, se não quiserem responder à tag, não se sintam na obrigação. De qualquer modo, a quem me lê, qualquer um deles vale a pena o vosso tempo. E é isto! Um beijinho e um queijinho.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

O meu novo melhor amigo

Geralmente, não sou muito dada a apps, nem costumo andar em cima das últimas novidades, mas no blog jess&rose, descobri uma que me dá imenso jeito. Neste post, elas dão a conhecer várias aplicações úteis para viajantes. Não é o meu caso, mas entre as mencionadas, encontrei uma que estou a adorar! 


Sou, definitivamente, uma pessoa de listas. Faço listas para tudo e tomo notas de tudo. Desde lembrar-me de preparar lanches/almoço para uma visita de estudo do pequeno, a consultas médicas, exames, as provas de aferição do filhote, lançamento de coreografias novas na academia, estreias de cinema que nos interessam, listas das compras, enfim... tudo o que vocês possam imaginar, eu anoto. Esta aplicação abençoada permite-me fazer tudo isso e andar organizada, sem carregar caderninhos, agendas e papelinhos. Adoro e recomendo para quem tem esta pancadinha, como eu.

domingo, 21 de maio de 2017

Bye bye weekend


A sério, quem foi o idiota que inventou esta treta de trabalhar 5 dias e descansar 2? Todos os domingos tenho em mim esta raiva de antecipação por já estar a acabar o fim-de-semana. Como é que amanhã já é segunda-feira? Como se não bastasse ter que ir trabalhar, ainda tenho que acordar cedo. É o inferno na terra, digo-vos eu. Lá vou eu, às 7h30 da manhã, arrastar o meu mau-humor pré-trabalho para a paragem de autocarro e enfrentar mais uma semana infernal. Que ódio...

sábado, 20 de maio de 2017

Em Modo Saudosista #11

Colecção Ovo Kinder Hippos

Quem se lembra desta colecção amorosa da Kinder? Adquiri muitos, o que me faz pensar agora que, para isso, tive que comer muitos ovos, ahah! Acho que ainda tenho alguns destes hipopótamos foférrimos em casa dos meus pais.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Sei lá, faz-me comichão

Não consigo acompanhar blogs com um sem fim de erros ortográficos ou gramaticais. Ocasionais, tudo bem, ninguém é perfeito, certo... tolero. Mas constantemente? Revela que a pessoa que está a escrever não sabe mesmo fazê-lo. E faz-me comichão à vista. É como ter muitas reticências e, principalmente, muitas exclamações. Parece que estão sempre aflitas e com pressa ou ansiedade para exprimir-se. Peço desculpa, mas não consigo. Até posso gostar do que estou a ler... e mais vezes do que gostaria acontece deparar-me com um blog cujo conteúdo até me interessa, mas que, depois, com todo aquele desassossego de exclamações e/ou pontapés na língua portuguesa, mata todo o interesse. É, simplesmente, desconfortável.

Climazinho d'um raio


Não aguento este tempo, que já mete nojo. Sou, assumidamente, fã do frio e inimiga número um do calor. Aquilo que não me agrada nada é esta bipolaridade climatérica. Sei que não sou a única e que já toda a gente se queixou, mas tinha que partilhar esta raiva, porque o vento, oh senhores, o vento... é daquelas coisas que me tira MESMO do sério. Odeio, odeio muito! Só vejo cabelos a esvoaçar, fico toda despenteada e parece que perco o sentido de orientação a caminhar, principalmente se for carregada com coisas na mão. Já chega, sim?

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Livros que recomendo #18


Sinopse: A história do Chile da década de 20 aos anos 70 é contada através da saga da família Trueba, que começa com a união de um homem simples, que fica rico, com uma jovem de poderes paranormais. A saga desenvolve-se até esta família ser atingida pela revolução, que no início da década de 70 derrubou o presidente Salvador Allende.

Opinião: Este livro tem tanto que se torna difícil descrever a sua beleza em comentários. Tantas personagens com personalidades diferentes, com histórias de vida que nos emocionam, um livro que cruza a realidade, o factual com personagens fictícias, com o fantasioso, o espiritual. O desenvolvimento de Esteban Trueba do início ao fim da sua vida é bastante interessante, toda a sua ideologia e a forma como termina. Percebemos, com o desenrolar dos acontecimentos, que nos está a descrever a História como ela aconteceu como se testemunhado de perto. É bom, é muito bom e não vou revelar muito mais para quem ainda não leu e pretende fazê-lo, mas por favor, façam-no! Foi o primeiro que li desta autora, que já há muito andava na lista, e não me desiludiu.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Sobre a Pipoca e o Arrumadinho

Quando comecei a dar mais atenção ao blog, comecei a explorar a blogosfera e a conhecer blogs, para determinar quais os que me interessavam. E dois dos que seguia eram os d'A Pipoca Mais Doce e d'O Arrumadinho. Com o tempo, deixei de seguir tanto um como outro. Ocasionalmente, dou uma espreitadela no da Pipoca, maioritariamente quando surge alguma polémica associada a ela na imprensa ou na blogosfera (porque sou uma grande cusca curiosa). A mais recente tem a ver com a reconciliação dos dois. Na altura que se começou a falar da separação, senti alguma curiosidade e fui espreitar. Dei com um post dela, muito sucinto, a assumir a separação. E fiquei por aí. Não senti necessidade de explorar o assunto, porque, apesar de serem conhecidos, são pessoas como todos nós e não vi porque deveria aprofundar a questão, já que não os conheço de facto e são assuntos que não me dizem respeito. Agora, todo este sururu sobre a possível reconciliação. E muito se especula. Não posso dizer que não tenho alguma curiosidade, mas não acho que seja, realmente, motivo para tanto aparato. E, sobretudo, acho que as pessoas se sentem demasiado no direito de querer justificações. Separaram-se porquê? Estão mesmo juntos outra vez? Porque não explicam aos leitores o que se passou? Porque é que mantêm segredo? Sinceramente, acho que a Pipoca e o Arrumadinho fazem lindamente em manter os assuntos da esfera privada aí mesmo e não expô-los como se de uma telenovela se tratasse para todo o mundo viver o casamento deles. Não interessa a ninguém, senão aos próprios e talvez às respectivas famílias, o que se passa. Não queiram saber demais, gente. Todos temos o direito à nossa privacidade e eles não são diferentes.

terça-feira, 16 de maio de 2017

Separadas à nascença #12


À esquerda - Keira Knightley (actriz)
À direita - Natalie Portman (actriz)

Estas são daquelas que me causam alguma dificuldade em distinguir! Principalmente sem estar a ver as duas assim, lado a lado. Damn!

segunda-feira, 15 de maio de 2017

O Meu Conto de Fadas #6


Quando começou a tornar-se sério

Durante as primeiras semanas, não sabia muito bem o que andava a fazer com o B. Na verdade, não pensava muito nisso. Saíamos, achava-lhe piada, sentia-me bem com ele. Havia sempre sobre nós a sombra do namorado que tinha na altura, o que mantinha um certo travão no que tínhamos. Mas não era só isso. Eu tinha um passado amoroso complicado e não queria uma relação séria. Tinha-me apercebido disso há pouco tempo, quando cheguei à conclusão que queria terminar o relacionamento que mantinha, porque não estava a resultar. E não estava a resultar porque eu, a determinada altura da minha vida, comecei a erguer muros à minha volta, barreiras que o B. acabou por conseguir ultrapassar, mas o meu ex-namorado não. Tinha-se tornado habitual trocarmos SMS a maior parte do dia. Tínhamos sempre tema de conversa, estávamos a conhecer-nos e eu entretinha-me a falar com ele durante o trabalho, já que era num callcenter e tinha oportunidade para tal. Também servia para me ocupar o tempo da viagem de autocarro. E foi numa dessas viagens que ele me disse algo que eu não estava à espera e que não queria ouvir. Disse-me que gostava que tivéssemos uma relação séria. Fiquei um bocado sem lhe responder, até ele voltar a mandar mensagem. A pensar no que me tinha dito. A pensar que tinha estado tão enganada em relação a ele, porque sempre me parecera que aquilo não era o que ele queria. Que ele só queria algo casual, passageiro, no strings attached. Tal como eu. E foi isso que lhe disse quando respondi. E ele confirmou que eu estava certa; que, inicialmente, era só isso que queria, não estava à procura de uma namorada. Mas... que eu o tinha feito mudar de ideias. E isso despoletou em mim sentimentos que eu não queria ter. Foi nesse preciso momento que me comecei a apaixonar por ele.

Sou só eu?

Quer-me parecer que sou a única pessoa neste país (ou talvez uma das poucas de um grupo muito restrito... porque não posso ser só eu!) que não ficou eufórica com a vinda do papa a Portugal, o Benfica ou a vitória do Salvador Sobral na Eurovisão, com aquela música tão fascinante (not). 

domingo, 14 de maio de 2017

O meu orgulho

Este foi um fim de semana preenchido para o meu filho. Tem uma vida social muito activa esta criança. Ontem de manhã teve uma festa de aniversário ao ar livre, bem ao gosto dele. E à tarde foi ao ensaio da nova actividade, já que, finalmente, se decidiu quanto ao que quer fazer. A zumba vai frequentar até ao fim deste mês e, depois, optou por se inscrever na natação (em setembro) e num grupo de percussão, que começou no passado fim de semana, onde toca bombo.


Entretanto, está, constantemente, a pôr em prática a veia artística e presenteou-nos com este miminho. Digam lá... não é amoroso?


E entre ontem à noite e hoje à tarde, foi curtir um pouco da festa que se fez aqui na terrinha este fim de semana. É tão bom ser criança!








sábado, 13 de maio de 2017

52 semanas: Semana 52 #No ano que vem, eu quero...

Acabar de pagar o que tenho em dívida.
Pintar a casa.
Comprar um sofá.
Comprar livros todos os meses.
Ter o segundo filho.
Dar mais atenção ao meu projecto de solidariedade.


E pronto. Este é o último post deste looongo desafio. E por aí, quais são os objectivos para um futuro próximo?

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Bom português

Palavras e expressões que oiço no meu dia-a-dia mais vezes do que gostaria:
- ferventar (fermentar)
- dedo miminho (dedo mindinho)
- quaisquers (quaisquer)
- brendada (prendada)
- se veres (se vires)
- côida (côdea)
- salchicha (salsicha)

Pedaços do meu mundo #6


Hoje deixo-vos com mais um pedacinho do meu mundo: um before/after. Na primeira foto, tinha 16 anos. Na segunda, já tinha os 28 que tenho agora. Reparo, sinceramente, que não estou muito diferente! Mesmo a maneira de vestir, confesso que seria perfeitamente capaz de usar o que tenho na primeira foto, menos as meias até ao joelho que, na altura da escola, eram a minha imagem de marca. E vocês? Notam uma grande diferença na vossa imagem de há 12 anos para cá?

terça-feira, 9 de maio de 2017

O vício

Neste momento, acompanho activamente 18 séries. Dezoito! Como é que posso passar seja que tempo for a lamentar-me por estar à espera de novas temporadas, quando tenho tanto com que me entreter? Eram 19, mas acabei agora uma. A tão badalada "13 reasons why" (recomendo imenso, mas darei a minha opinião mais detalhada futuramente na rubrica "séries viciantes"). E tenho outras tantas em stand-by, à espera das novas temporadas. E mais umas em lista para começar a ver. É oficial. Sou completamente viciada. As que estou a ver actualmente são as seguintes:

- Arrow
- The flash
- Once upon a time
- Legends of tomorrow
- Supergirl
- Pretty little liars
- Superstore
- Last man standing
- Supernatural
- The big bang theory
- The Mick
- Speechless
- New girl
- Quantico
- The middle
- This is us
- Two broke girls
- Modern Family

De algumas, já falei aqui, as outras lá chegarão! E por aí, o que vêem?

domingo, 7 de maio de 2017

Dia da Mãe

         


A prenda que fez na escola 💕


A prenda que comprou com o mais-que-tudo 💖


52 semanas: Semana 51 #Coisas que me marcaram este ano


Como comecei este desafio numa altura aleatória e não no início do ano e porque saltei várias semanas quando não tinha disponibilidade para publicar, estou a acabar agora, em maio, numa altura do ano ainda precoce para fazer balanços. Como tal, vou basear-me no ano de 2016. 

Este ano que passou foi um dos mais complicados que já tive, foi difícil. O B. esteve grande parte do ano desempregado, passámos vários meses a lutar contra os problemas monetários e estivemos diversas vezes com a corda ao pescoço. Reconheço que tenho imensa sorte por ter os pais que tenho, porque, se não fossem eles, muita coisa já tinha dado para o torto.

Como sabem, se me acompanham há tempo suficiente e se estão atentos, não estou com o pai do meu filho. Já há uns anos valentes. Não posso, porque o blog é um espaço público (nem valia a pena maçar-vos com detalhes), entrar em grandes pormenores sobre o assunto, mas 2016 foi também um ponto de viragem na nossa relação que, neste momento, está pelas ruas da amargura.

No entanto, o que me marcou mesmo mais no ano de 2016 foi a perda do meu bebé. Também falei aqui sobre isso. Engravidei em novembro de 2015 e sofri um aborto em janeiro de 2016. Foi, provavelmente, a pior coisa que me aconteceu até hoje e, definitivamente, a mais marcante. Pensei que não seria capaz de voltar a querer engravidar e, durante muito tempo, não quis. Não é uma sensação que deseje a nenhuma mulher.

E é isto. O próximo post deste desafio será o último!

sexta-feira, 5 de maio de 2017

A gestão do lar


Cá por casa, há uma clara divisão de tarefas. Quero dizer, a maioria das coisas é feita pelos dois: lavar a loiça, estender e apanhar a roupa, aspirar, lavar o chão, fazer as camas, levar/buscar o pequeno à escola e actividades, fazer o almoço/jantar. E isto foi ponto assente logo inicialmente, quando viemos viver juntos. Se a casa é de ambos, um não pode "ajudar" o outro, mas sim "dividir tarefas" entre os dois. No entanto, há sempre arestas a limar, o que vai acontecendo com o tempo. Ao fim de 4 anos a viver juntos, reparo que, além das que temos em comum e que já referi, há certas coisas que recaem mais sobre um de nós, enquanto o outro se encarrega mais de outras. As compras no supermercado, por exemplo, é, maioritariamente, o B. que faz. Os avios maiores, que fazemos no fim do mês, é comigo, vamos sempre os dois. Mas as idas mais frequentes para repor alguma coisa em falta (como pão, fruta, leite, manteiga, fiambre...), essas, são dele. Provavelmente, porque é ele que conduz e acaba por facilitar ser ele a ir às compras. De resto, é também quase sempre o B. que leva o lixo ao contentor, troca as lâmpadas cá de casa, limpa e lava o carro, desentope o lava-loiça, carrega coisas para o sótão (com as mudanças de estação, há sempre uma bagunça de caixas com roupa; e também, com o projecto de solidariedade, temos sempre muita coisa a circular para cima e para baixo). Mesmo na limpeza semanal que fazemos à casa (que é quando limpamos a fundo), as divisões são quase sempre distribuídas da mesma maneira: o B. costuma ficar encarregue das duas casas de banho e do quarto do pequeno e eu limpo o nosso quarto, a sala e a cozinha. Por outro lado, no que toca à gestão prática da casa, a responsável sou eu. Como sou muito organizada, tenho pastas e pastinhas com tudo separado e etiquetado: facturas do gás, luz, água e telecomunicações, contratos de trabalho, recibos de vencimento, papéis dos seguros de saúde, papéis do banco, códigos e cartas de segurança social e finanças, exames médicos, facturas, enfim. Todo um mundo de papelada que sou eu que separo. Prazos para pagamentos e gestão das contas? Sou eu. Passar a ferro também é uma tarefa minha, o B. não pega no ferro e talvez seja melhor assim, caso contrário, já vejo uma tragédia à espera de acontecer com a nossa roupa! E se querem saber horários e calendário de alguma coisa que tenhamos marcada (sejam jantares, actividades ou eventos do pequeno, festas de aniversário, consultas médicas...) é comigo também. E nos vossos lares, como é que a coisa funciona?

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Na Cozinha da Cy #26

Bolachas de M&M's

Ingredientes:
- 150g margarina
- 1/2 cháv. açúcar branco
- 1/2 cháv. açúcar amarelo
- 1 ovo
- 2 cháv. farinha
- 1 pacote grande M&M's (só chocolate)
- 1 colher café de fermento

Modo de preparação:
Derreter a margarina e juntá-la aos açúcares na batedeira. Misturar bem. Juntar o ovo e continuar a bater. Adicionar a farinha (previamente misturada ao fermento). Colocar M&M's na massa sem batter. Fazer umas bolachinhas, espalmá-las e colocar M&M's por cima. Levar ao forno pré-aquecido a 180º cerca de 15-20min.

terça-feira, 2 de maio de 2017

Girly girl


Há uns tempos descobri este amor pelas bandoletes. Assim deste género, com acessório. Adoro, são super fofas! Perco-me completamente. Sou muito girly, eu sei. Mas não resisto! Estas são as fofinhas que moram cá em casa. E por aí, alguém partilha deste amor?