segunda-feira, 30 de maio de 2016

Livros que recomendo #12


Sinopse: A jovem Belle realizou os seus sonhos. A uma infância pouco comum seguiram-se anos dramáticos, ao longo dos quais quase cedeu ao desespero. Mas a sua coragem e determinação prevaleceram. A sua vida agora é feliz. Está casada com Jimmy, o seu primeiro amor, e conseguiu abrir a elegante loja de chapéus que sempre desejou. Mas a História do Mundo está prestes a mudar. A I Guerra Mundial vai arrastar consigo milhões de pessoas. Belle e Jimmy abdicam de tudo para defenderem o seu país. São ambos destacados para França, onde Jimmy vai arriscar a vida nas trincheiras e Belle conduz uma ambulância da Cruz Vermelha. É um tempo de devastação sem precedentes em que sobreviver a cada dia representa uma vitória. E é quando o passado menos ocupa os seus pensamentos que Belle será obrigada a confrontá-lo pela derradeira vez. Bastará um momento. Um homem. Um olhar. Entre a luta pela sobrevivência, uma paixão proibida e a lealdade devida a um grande amor, Belle está perante uma escolha impossível. Mas ao viver na pele um dos mais sangrentos conflitos da História, terá ela poder sobre o seu destino?

Opinião: É o segundo livro da saga de Belle, depois de Sonhos Proibidos. Li este livro com a mesma rapidez e avidez com que li o primeiro. Dá-nos a conhecer a vida desta jovem rapariga depois do trauma que foi a sua adolescência, as marcas com que ficou, os obstáculos que teve que ultrapassar. Mas fala-nos de muito mais, transporta-nos ao horror da I Guerra Mundial, com detalhes que só nos fazem imaginar o quanto passaram aquelas pessoas. Fala-nos de morte, guerra, conflitos, amor, perdas e reencontros. Belle é uma personagem forte, carismática e cheia de personalidade. A Promessa mostra-nos o quanto somos capazes de suportar na vida e o quão depressa a nossa realidade pode mudar. Aqui fala-nos um pouco da evolução da História, já que assistimos também à gripe espanhola, à substituição de carroças por carros, à electricidade a surgir aos poucos, ao direito de voto da mulher e à sua emancipação, ao dissipar da distinção entre classes. É tão arrebatador como o primeiro e recomendo vivamente. Lesley Pearse não me tem desiludido e vou falar-vos ainda do 3º desta saga.

Amor incondicional pelos filhos


Ontem vi esta imagem no facebook, que gerou toda uma polémica. Houve um comentário que foi o que despoletou a indignação geral. E esse comentário dizia, basicamente, que, hoje em dia, a maioria dos miúdos são ingratos e mal-educados. Seguiu-se um rol de insultos à pessoa que disse isto e a maioria afirmava que os filhos são aquilo que os pais fazem deles e que a pessoa em questão só podia ser má mãe, para fazer uma afirmação daquelas. 

Vamos lá por partes. Em relação à imagem, há, de facto, pessoas que pensam que ter filhos não é uma coisa boa. Ou melhor, não é o que querem para a sua vida, não faz parte dos seus objectivos. Mas estão no seu direito e ninguém pode julgá-las por isso. Se a pessoa não quer ter filhos, é melhor mesmo que não os tenha, as crianças devem ser queridas e amadas. E, relativamente ao amor verdadeiro, também é verdade que não há como ter filhos para saber o que isso é. Por muito que amem os vossos animaizinhos, irmãos, maridos... o amor por um filho é tudo.

No entanto, a parte em que diz que eles não querem saber do dinheiro que os pais têm, do carro que conduzem ou da sua aparência, já não é tão verdade assim. Concordo que, até certo ponto, a educação que os pais dão aos filhos conta muito. Dá-lhes as bases para a pessoa que se vão tornar. Mas, a partir de certa altura e de certa idade, os filhos decidem se querem ser a pessoa que lhes ensinaram a ser ou enveredar por outro caminho. E, infelizmente, nem sempre fazem a escolha certa e acabam por ter vergonha da situação financeira dos pais, do seu aspecto físico ou de outra coisa qualquer.

domingo, 29 de maio de 2016

Sugar & Spice

Eu e a minha amiga de longa data, que é também a madrinha do meu filho e parceira no projecto Luta Por Um Sorriso, decidimos agora tentar a nossa sorte num negócio de restauração. Uma coisa amadora, nenhuma de nós é profissional na área, mas duas curiosas autodidactas que resolveram juntar talentos e aproveitar o que cada uma faz melhor. A nossa página Sugar&Spice tem fotos de todos as nossas criações, algumas das quais até já devem ter visto por aqui na minha rubrica Na Cozinha da Cy. Podem visitar-nos AQUI no facebook e aproveito para vos deixar com algumas fotos do que podem encomendar-nos.

Bifinhos com cogumelos e natas de soja

Lasanha de carne

Bolachas de M&M's

Cheesecake de caramelo

Queijadinhas de doce de leite

Cheesecake de limão e pistáchio

sábado, 28 de maio de 2016

Há 4 meses...


... perdi o meu bebé.

"Nunca te ouvi, mas oiço-te. Nunca te peguei ao colo, mas sinto-te. Nunca te conheci, mas amo-te."

Hoje, fui ao quarto que tem estado ao abandono aqui em casa, o que estava destinado ao bebé. Tudo o que por lá andava espalhado que tinha comprado, que me tinham oferecido e coisas que eram minhas e do meu filho... guardei tudo. Está enfiado nas gavetas. E apenas tocar nas coisas para as arrumar custou-me. Guardei-as porque ainda quero, um dia, dar-lhes uso. Sei que dizem que o tempo cura e que irei, eventualmente, estar preparada. Mas não me sinto ainda nem perto disso. E o pensamento de que iria passar toda uma gravidez com medo angustia-me. Não consigo ainda conceber a ideia de tentar passar por isso novamente.

Mas afinal querem frio ou calor?


Eu gosto, assumidamente, muito mais do frio do que do calor, como já toda a gente sabe. Aliás, para as pessoas que me conhecem e têm contacto diário comigo seria difícil não saber, porque eu fico absolutamente insuportável quando o tempo aquece. Fico rabugenta, detesto sentir-me demasiado quente e abomino a sensação de andar transpirada a toda a hora. É coisa para me causar urticária. Para além disso, fico mole, sem vontade de fazer, rigorosamente, nada. E, infelizmente, as férias (quando as há, sequer) não duram todo o verão. Pelo que não posso passar o tempo quente todo sem fazer nada. Tenho que trabalhar. E trabalhar num espaço quente em pleno verão é tortura! O mais curioso é que, mesmo as pessoas que dizem gostar do calor, não gostam sempre. Oiço-as queixarem-se. Não todas... há, realmente, pessoas que gostam do verão como eu gosto do inverno. Não se queixam e ficam radiantes quando o calor chega. Outras, no entanto... queixam-se imenso do frio quando estamos na altura dele, mas assim que começa o verão, queixam-se também. Vamos lá ver... afinal, gostam ou não? Ou só gostam mesmo é de reclamar?

sexta-feira, 27 de maio de 2016

52 semanas: Semana 17 #Personagens cuja vida eu gostaria de viver por um dia

Emma Swan - Once Upon a Time

Felicity Smoak - Arrow

Hermione Granger - Harry Potter

Jane - Mr. and Mrs. Smith

Rachel Berry - Glee

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Na Cozinha da Cy #20

Esparguete à carbonara

Ingredientes (4 pessoas):
- 300g de esparguete
- 1 colher de sopa de margarina
- 1 dente de alho picado
- 200g de bacon cortado em cubinhos
- 200g de cogumelos frescos laminados
- 350 ml de natas
- 3 gemas de ovo
- 1 colher de sopa de queijo ralado
- Sal q.b.
- Pimenta q.b.
- Noz-moscada q.b.
- Óleo q.b.
- Queijo ralado q.b.

Preparação:
1. Numa panela com água a ferver, tempere com sal e coloque um fio de óleo.
Junte o esparguete, mexe bem e deixe cozer durante 10 minutos.
2. Num tacho leve ao lume a margarina e o alho.
Quando estiver quente, junte o bacon e deixe fritar um pouco.
Junte os cogumelos e deixe fritar tudo até perderem a água.
3. Tempere as natas com pimenta e noz-moscada.
Junte as gemas e a colher de sopa de queijo ralado.
Misture tudo.
4. Junte o esparguete cozido e escorrido ao bacon e misture tudo.
Junte as natas e envolva tudo.
Apague o lume de imediato.
Siva com queijo ralado à parte.

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Separadas à nascença #6


Joana Santos (em cima) - actriz
Patrícia Oliveira (em baixo) - anónima


A rapariga de baixo é mais novinha, mais baixinha e mais bochechuda, mas não consigo deixar de achá-las parecidas!

Matemática

Acabei de preencher uma folha A4 com problemas matemáticos para o meu filho resolver (a pedido dele!). Confesso que fui pesquisar à net problemas do 1º ano. Porque, para além de não gostar de matemática, não tenho imaginação para inventá-los. Felizmente para o meu filho, ele não saiu a mim nisto e gosta muito de números. Fico genuinamente aliviada e contente por ele porque gostar de matemática é meio caminho andado para percebê-la!

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Estou velha!

Os avós do meu filho compraram-lhe um boné. Super giro e tal. Mas ele não diz que tem um boné. É um cap. O meu filho tem 7 anos. Um capWhat? Quando é que isto aconteceu?

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Séries viciantes #7 \\ The Big Bang Theory


Sinopse: A série é centrada principalmente em cinco personagens que vivem em Pasadena, Califórnia: o físico experimental Leonard Hofstadter e o físico teórico Sheldon Cooper, que partilham um apartamento e trabalham no Instituto de Tecnologia da Califórnia - Caltech; Penny, uma empregada de mesa e aspirante a actriz, que mais tarde se torna uma representante farmacêutica, e que vive como vizinha de ambos; e o engenheiro aeroespacial Howard Wolowitz e o astrofísico Rajesh Koothrappali, amigos e colegas de trabalho geeks semelhantes e socialmente desajeitados de Leonard e Sheldon. Os hábitos geeks e o intelecto dos quatro rapazes entra em contraste cómico com as habilidades sociais e senso comum de Penny.

As personagens mascaradas

Penny, Amy, Leonard e Sheldon

Penny e os rapazes no início da série

Amy e Sheldon em Fun with Flags

Howard e Leonard

Sheldon, Leonard e Raj numa festa de máscaras em casa da Penny

Opinião: A interacção dos nerds uns com os outros e, especialmente, com a Penny e, posteriormente com a Amy e a Bernardette, é genial. Dizem coisas que não lembram a ninguém e, para mim, o melhor é o Sheldon Cooper: socialmente desajeitado, não tem filtros, é único. Recomendo VIVAMENTE, acho uma graça a esta série que só vendo dá para compreender.

domingo, 15 de maio de 2016

Mudanças

Conforme já aqui disse, o treino tem-me dado mais força, flexibilidade e, claro, juntamente com a alimentação saudável, ajudado a eliminar kg a mais. Neste momento, contabilizo 7 kg a menos no espaço de um mês.

Coisas que não conseguia fazer antes e agora consigo

O Cisne

Agarrar ambos os pés

Tocar com o nariz no joelho

Finalmente, apesar de serem apenas 7 kg e de ter ainda muito caminho a percorrer, um antes e um depois


Antes

Depois


terça-feira, 10 de maio de 2016

Felicidade é isto


Não há nada melhor nesta vida do que preparar as coisas do meu filho para o dia seguinte e aconchegá-lo na cama agarrado ao peluche com um beijo de boa noite carregado de amor.

sábado, 7 de maio de 2016

Big Hero 6 - Os Novos Heróis


Hoje foi dia de sessão de cinema em família e este foi o escolhido.

Big Hero 6 é a quinquagésima longa-metragem de animação da Walt Disney Pictures e foi lançada em 2014. Inspirado na banda desenhada homónima da Marvel Comics, é uma comédia de acção e aventura, que se passa na cidade de San Fransokyo, uma mistura de São Francisco e Tóquio. Big Hero 6 foi um sucesso de público e crítica.





Big Hero 6 tem toda a ternura e humor que se espera de um filme Disney. Personagens engraçados, divertidos, muito sarcasmo e brincadeira, mas muita união e amizade também. Aborda a perda de entes queridos e como ultrapassar isso, bem como a importância da amizade. Vê-se bem em família e, definitivamente, recomendo.

sexta-feira, 6 de maio de 2016

52 semanas: Semana 14 #Os meus sites favoritos

Não posso dizer que são, propriamente, sites favoritos, mas escolhi alguns dos que costumo visitar para o desafio desta semana.

http://demaeparamae.pt/

https://www.legendasdivx.com/

https://www.youtube.com/channel/UCuuDtFOVboLkAa6iD1WPAcA

http://www.planeo.pt/

http://www.saborintenso.com/