quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Leilão solidário-flash


Tinha esta saia da Bershka à venda aqui, mas resolvi integrá-la na onda de solidariedade à família da Flor de Jasmim e leiloá-la no blog da querida Turista Acidental. Vejam o post aqui e toca a licitar!

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Young Adult


"Mavis Gary é uma autora de literatura juvenil que regressa à sua pequena terra natal para reviver os seus gloriosos dias e tentar reconquistar o seu namorado do secundário, agora um feliz homem casado. Quando o regresso a casa se torna mais difícil do que ela pensava, Mavis forma uma estranha dupla com um antigo colega que, tal como ela, ainda não ultrapassou a vida do secundário..."

Uma palavra: BORING! Achei este filme tão, mas tãaaaao parado. É uma história um bocado sem graça, aborrecidinha. Gosto da personagem dela, completamente frita e um bocado psycho, mas o filme é muito, muito chato!

Leilão solidário-flash


"Hoje junta-se a nós a nossa querida Olga, que nos oferece este lindíssimo colar, novinho em folha e feito pelas suas mãos de ouro!
O montante final, que obtivermos com este leilão, reverterá totalmente para o casal de  idosos de Linda-a-Velha, que temos ajudado nos últimos dias.

Regras:
-o leilão inicia-se com o valor base de 5 (cinco) euros.
-as licitações serão feitas (no mínimo) de 0,50 em 0,50 cêntimos.
-as licitações serão feitas na caixa de comentários deste post.
-as licitações terão início hoje dia 27 de Fevereiro e terminarão dia 1 de Março, às 23h59m.
-quem apresentar a licitação mais elevada, nesse dia a essa hora, ficará com esta beleza.
-a Olga compromete-se a enviar o colar por correio, a quem fizer a licitação mais elevada.
-o montante final do leilão, será enviado à família através de transferência bancária, efectuada pela pessoa que ficar com o colar.
-todos contactos com a pessoa que ficar com colar, serão efectuados por email.
-licitem somente, se pretendem mesmo ajudar."*

*texto integral retirado do blog da Turista Acidental.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Lina


No mês passado, fiz um post aqui sobre a Lina, uma rapariga que travava uma luta contra um tumor maligno (Glioblastoma multiforme Grau IV). Tinha vindo a acompanhar aqui esta luta e os esforços da família e das amigas, incansáveis, que ajudavam angariando dinheiro para pagar os tratamentos. Fiquei hoje a saber que a Lina partiu hoje. Os meus sentimentos a todos os que lhe eram próximos e que esta menina descanse em paz. Nem consigo imaginar o que a família e os amigos possam estar a sentir, mas o meu pensamento está com eles. Não conhecia a Lina, mas é impossível ficar indiferente a isto.

My boo

Isto podia dar um post sem fim, mas tentarei não ser maçadora. O B. é a pessoa mais diferente de mim com quem já mantive uma relação. E será, provavelmente, por isso que resulta. Amo-o porque me completa, equilibramos a balança. Temos gostos em comum, como é óbvio, concordamos numa série de coisas e temos a mesma visão em coisas essenciais. Mas as nossas personalidades são completamente diferentes. Amo-o porque fez nascer em mim um arco-íris. Trouxe mais cores à minha vida quando me devolveu a capacidade de amar alguém. Até à data, a minha capacidade de amar era exclusivamente direccionada para o meu filho e mantinha à minha volta muros tão altos que nunca deixaram passar ninguém. Amo-o porque me faz sentir que sou uma prioridade, nunca me sinto passada para trás com ele. Amo-o porque me faz acreditar que o faço feliz, porque me pede opinião, porque discute as situações comigo para tomarmos decisões em conjunto. Amo-o por me ter feito mudar de ideias em relação ao casamento. Sei que, sempre que precisar, ele não me vai falhar e amo-o também por isso. Sorrio quando sei que se aproxima a hora de o ver. Sinto a falta dele quando não está ao meu lado. Amo-o pela forma carinhosa como me trata sempre, pelos dedos entrelaçados, pelo beijo na bochecha e a festinha no cabelo. Amo-o porque me oferece o casaco se está frio, porque me aconchega as mantas à noite e porque diz que me ama logo de manhã e sempre antes de adormecer. Amo-o porque se mantém ao meu lado e luta contra os obstáculos. E amo-o, simplesmente, porque é o homem da minha vida*.

*e tornou-me extremamente lamechas!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Before Sunset


Muito curto, fiquei com a sensação de "quero mais". Não tem, nem de longe, o encanto do primeiro,
mas o reencontro é fofo e adoro a interacção entre eles


What not to wear


É mais um programa do TLC (sim, eu sei que vejo muito TLC). O típico programa de gaja (como, de resto, são praticamente todos neste canal). Não é educativo, não fala de cultura, política, música ou literatura. Fala, sim, de moda. É uma equipa, composta por dois consultores de moda, Stacy e Clinton, um cabeleireiro e uma maquilhadora. Vão buscar pessoas que se vestem de uma maneira estranha (já vi uma que usava roupa de bruxa no dia-a-dia, com direito a chapéu pontiagudo e tudo. Morava em Salem. Figures), que não as favoreça; desde vestirem a roupa do avesso a usarem fronhas como peça de vestuário, tudo se vê ali. A equipa do What not to wear é chamada pelos familiares e amigos da "vítima" para lhe renovarem o guarda-roupa. E é interessante assistir à mudança. Muitas das vezes, até custa a crer, no fim, que é a mesma pessoa que apareceu no início. É um programa que entretém, para quem se interessa por moda, principalmente, mas que, a meu ver, também serve para quem o vê reter algumas dicas em termos de maquilhagem e roupa, já que eles frisam as características que as pessoas devem encontrar na roupa que procuram, conforme o tipo de corpo que têm. Meninas que tenham dificuldades em escolher roupa que vos assente bem e, ao mesmo tempo, vos faça sentir confortáveis (para as que não têm, óptimo, gostava de ser assim também!), atentem nos conselhos destes senhores.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Before Sunrise


Admito que gostei. Um romance que (incrivelmente) nunca tinha visto.
O final  é qualquer coisa, os sentimentos que eles transmitem... Gostei muito!


terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

She cupid?


Isto é estúpido, mas não consigo evitar achar piada! Ahahah, bitch put a heart?!

Gravidez, estado de graça?

Desde que engravidei do meu filho, comecei a conhecer outras grávidas e mulheres já mães. E é raro, mesmo muito raro, haver uma que concorde comigo nisto. Oiço tantas dizerem que gostaram de estar grávidas, que foi uma fase muito boa, que têm saudades da barriguinha... e eu penso "mas como é que é possível?!". Eu não tenho saudades. A única coisa que achei fofo durante esse tempo foi sentir o meu bebé a mexer-se. O resto? Hell, no. Não tenho saudades de ter que ir a consultas a toda a hora. Nem da azia. O aumentar de peso. A fome avassaladora. As cãibras. A falta de posição para dormir. O sono. A constante vontade de ir ao WC (que ficou! Estúpida bexiga do tamanho de uma noz...). As estrias com que fiquei. O cansaço. Não chegar aos pés como deve ser para me calçar. Não poder usar a minha roupa habitual. Os pés inchados. A moleza. O toque (horroroso!). Posto tudo isto, como é que podia sentir saudades? Não sinto. Nenhumas. E depois sou apelidada de insensível. Fiquei extremamente feliz no dia em que ele nasceu. Cá fora é que ele está bem, onde posso vê-lo crescer, dar-lhe mimos e apreciar a coisinha linda que fiz. Perdoem-me as mamãs que apreciam a gravidez. Mas isso não é mesmo para mim. Algumas ainda tentaram convencer-me de que me iria esquecer de tudo isso quando ele nascesse e que ia ter saudades. E eu tinha a certeza que estavam erradas. Como é óbvio, eu estava certa. Se quero outro? Sim. Se anseio por outra gravidez? Não!

Enough


Já devo ter visto este filme umas mil vezes, volta e meia passa na televisão. É um filme que tem a Jennifer Lopez como protagonista, portanto seria de pensar que o filme não vale um chavo. Mas impressionou-me like hell da primeira vez que o vi. Já o conheço de trás para a frente e continua a impressionar-me de todas as vezes que o vejo, mesmo conhecendo as cenas e sabendo, de antemão, qual vai ser o desfecho. Conta a história da Slim, uma mulher que entra num casamento que começa a descambar anos depois, quando já existe uma criança. Começa o filme como uma mulher cheia de medos, assustada, indefesa e acaba como uma mulher forte, lutadora, vencedora. Faz de tudo para se proteger e, sobretudo, à filha. Toca-me, pela capacidade que um homem tem de fazer tanto mal à mulher com quem casou, a quem prometeu amar e proteger, pela frieza com que ignora o facto de haver uma criança (que é dele também) envolvida, pela coragem da personagem até ao fim, pela racionalidade que ela mantém ao recorrer a todos os meios possíveis. Acho que uma das cenas mais impressionante, para mim, é aquela em que o amigo polícia (corrupto) do marido enceta uma perseguição à Slim com a filha desta dentro do carro, em que a miúda passa o tempo a chorar e a gritar "Mommy!". É aflitivo. Sempre o achei e agora mais ainda porque sou mãe. É uma lição poderosa para todas as mulheres que sofrem maus tratos, mostra que nunca devem desistir, nem sujeitar-se. Não faço parte daquele grupo de pessoas que julga essas mulhers por continuarem numa situação dessas. Ninguém tem o direito de o fazer, de dizer "ah, isso comigo não era assim!", de afirmar que, se elas ficam, é porque gostam e que não deve custar-lhes assim tanto. Nunca é assim tão linear. Quem está de fora, não conhece o medo, a sensação de impotência, o pânico de sofrer represálias. Neste filme, o marido em causa era rico, poderoso, com muitos recursos e dinheiro capaz de pagar a meio mundo para encontrá-la, bons advogados e amigos na polícia. Ele tinha a vantagem sobre ela, uma empregada de mesa sem metade dos recursos dele. Acredito que, num caso destes, ainda seja mais desmotivante e assustador para a mulher. Mas a lição a retirar daqui é nunca desistir, não baixar os braços, não deixar de lutar. Fazer o necessário para se manter a salvo e, principalmente, se houver uma criança para proteger. É um filme que recomendo vivamente.

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Savages


Para o tipo de filme que é, podia ter mais acção. Esperava um pouco mais. Mas gostei da história.

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Toddlers and Tiaras



Muito já foi dito sobre este programa. Passa no TLC e acredito que a maior parte das pessoas saiba o que é. No entanto, para os mais desatentos, passo a explicar: é um concurso de beleza e talento para crianças. E tem tanta coisa errada, por onde começar? Primeiro, em que raio pensam aquelas mães (e acho que isto é mesmo o que me perturba mais) quando se põem a embonecar as filhas? Porque aquilo não é só vesti-las com umas roupas fofinhas e toca a andar. Não. Elas maquilham-se. Elas põem laca e todos os produtos que sejam precisos no cabelo. As roupas pirosas ainda são o menos. Mas encherem miudas de 3, 4, 5 anos  de maquilhagem? De spray bronzeador? Pensarão elas alguma vez na pele das pobres crianças? Porque aquilo não é uma coisa pontual. Muitas daquelas miúdas passam a vida em desfiles e concursos de beleza. Daí que pensem que a beleza é a coisa mais importante na vida (como já ouvi uma dizer). É este tipo de valores que elas querem incutir nas filhas? Seriously? Algo que me deixa estupefacta neste programa também é ouvir muitas mães dizerem que as suas crias são caprichosas, teimosas, que só fazem o que querem. E afirmam-no com um sorriso, como se fosse motivo de orgulho. Minhas caras, não se surpreendam se daqui a 10 ou 15 anos, as vossas meninas se tenham transformado numas cabras snobs e insuportáveis, que, provavelmente, vos irão tratar mal, já que as deixam fazer agora tudo o que lhes apetece.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

E o pintinho piu


Foi o que mais ouvi hoje na rua, face à máscara do meu pequenote. O mais lindo, pá!

Unicórnios

Ontem aprendi, num programa do TLC (sempre educativo, este canal), que julgo chamar-se My Strange Addiction (mas não estou certa), que "unicórnio" é calão para uma mulher sozinha numa festa/clube de swingers.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

S. Valentim


O dia dos namorados aproxima-se. Existem as mulheres, normalmente solteiras, que não gostam deste dia, porque estão sozinhas e fazem questão de mostrar que odeiam o dia dos namorados e se sentem miseráveis. Há aquelas, também solteiras, que querem mostrar o quão independentes são e afirmam que o dia não lhes diz nada, que são felizes sozinhas e que saem à noite com as amigas para mostrá-lo ao mundo. E depois há as outras, comprometidas. Umas assumem sem problemas que gostam do dia, do romantismo. E outras dizem que não querem saber mas, no fundo, se não forem brindadas com algo que celebre o dia, amuam. E depois há as excepções. Onde eu me incluo. Eu não gosto do dia dos namorados. Nunca gostei. É um dia muito dado ao consumismo. É mais difícil encontrar sítio para jantar, há maior afluência de gente aos restaurantes. Há corações por todo o lado. Eu não sou dada a lamechices. E, ao contrário do que se possa pensar, eu tenho namorado. Mas o São Valentim não me toca minimamente. Prefiro que o romantismo seja demonstrado em qualquer outra data. Um dia qualquer do ano ou uma data que seja especial para o casal. O dia 14 de Fevereiro é especial para nós? Não... é um dia como os outros. Logo, não tem especial destaque. Mas divirtam-se, todos aqueles que apreciam!

José Carlos Pereira


Ontem, a ver "A Tua Cara Não Me É Estranha" pensei, cá para mim, que este homem vai acabar por se perder definitivamente no vício. Muita maquilhagem, muita base em cima para disfarçar o ar estragado que ele apresenta. Já fez reabilitação... Os colegas estendem-lhe a mão, a família apoia-o, mas há-de chegar uma altura em que isso já não vai servir para nada. Na segunda edição, saiu do estúdio no decorrer do programa porque "se sentiu mal". Está cada vez mais emotivo, qualquer coisa que diga, treme-lhe logo o queixo e saltam-lhe as lágrimas. De vez em quando, parece-me que anda ali meio grogue, desnorteado. Nunca o considerei grande actor, já desde que ele apareceu no "Anjo Selvagem" com a Paula Neves. Mas é pena deixar-se levar assim.

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Vida por um fio - Sr. António


Venho aqui apelar, mais uma vez, à solidariedade de quem possa vir a ler-me. Estou desempregada e, com muita pena minha, não tenho possibilidades de ajudar toda a gente com quem me deparo e que precisa. Mas divulgo o mais que posso e é isso que venho fazer agora.

"O sr. António Luís trabalhou toda a vida, já teve uma vida certinha, mas as adversidades da vida foram cortando tudo, como acontece com muita gente. A reforma é de 400€, a renda da casa é de 300€, os medicamentos são mais que muitos (dois cestos cheios), a mulher teve dois AVC's e mais uma série de problemas. Antes estava numa casa mais cara, mas procurou a mais barata e mais pequena que conseguiu. Só se mudou quando conseguiu juntar dinheiro para o mês de caução e 1º mês.
Para comer, nem sempre dá..."


A reportagem passou na sic e está aqui:


O NIB para quem queira ajudar é 0007 0000 00143239707 23.

Divulguem também!

Not Suitable for Children


Ele nunca quis ser pai até descobrir que tem um mês até se tornar infértil. Um filme muito soft. Funny and cute.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Comentários no spam

Pessoas que me lêem... eu, por norma, comento todos os blogs que sigo com alguma frequência. Já tomei conhecimento que muitas vezes vai parar ao spam nos vossos blogs. A querida Ana Ricardo sugeriu que podia ser das abreviaturas. Corrigi isso e acontece o mesmo. Vejam se encontram comentários meus nas vossas caixas de spam... e, já agora, se alguém me sabe dizer porque raio isto acontece.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Bolo de maçã e canela



O que sobrou do bolo de maçã e canela que fiz ontem. Cheira-me que de hoje não passa! Fiz este bolo à experiência há uns tempos e fez sucesso. Foi o que levei para o jantar de natal com a minha família e para o almoço de natal com a família do mais-que-tudo. A minha melhor amiga adora!

Blue Valentine


Dos filmes mais depressivos que já vi. É, no entanto, um retrato da realidade.
Tocante e triste, na minha opinião.

I don't know how she does it


Típico filme de Domingo à tarde. Tem o seu quê de comédia, uma pitada de romance e
é uma lição para todas as "working moms"

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Movies


"O homem do ano" é o assassino da impressão digital. Um filme de suspense que já tinha visto e agora revi com o mais-que-tudo. Still awesome.



É raro encontrar um bom filme de terror. Penso que este se insere bem na categoria. Absolutamente creepy!