terça-feira, 28 de junho de 2016

Violência entre crianças

Antes do final das aulas, a turma do meu filho foi a um passeio e no regresso, o pequeno teve um desentendimento com um colega. O meu, espertinho (como todas as crianças, de resto) foi mexer na mochila do outro. Só porque sim. E o outro, em vez de lhe dizer para parar quieto ou de ir queixar-se ao professor, não fez mais nada... deu-lhe um pontapé no braço. Meigo também... E o meu começou a chorar. E só aí é que o professor viu o que se estava a passar e pôde intervir. 

Já não é a primeira vez que acontece uma fricção entre ele e outros miúdos, como é normal, e ele não lhes faz mal. Chora ou queixa-se a quem estiver responsável. Ora, eu não quero que o meu filho seja um coninhas que se deixa bater e não faz nada. Mas também não quero que ele pense que a violência é a solução para tudo.

Conselhos, mães e mesmo quem não é mãe, mas tem uma opinião. Porque toda a gente tem opiniões e, neste caso, são bem-vindas. Como é que se ensina uma criança que se deve defender quando lhe fazem mal sem o incentivar a usar sempre a violência como resposta??

4 comentários:

  1. Olha, não vou ser grande ajuda, porque de facto acho essas questões muito complicadas... Será que aconselhá-lo a confrontar quem o magoa com palavras resulta? Enfim, acho que responder com violência não adianta nada, porque só prolonga o "ciclo"... Ir embora talvez dê a ideia de que podem fazer o que entenderem que ele não se vai defender... Eventualmente aconselhá-lo a perguntar à pessoa porque fez isso?

    ResponderEliminar
  2. É uma questão com a qual muitas vezes me coloco, não só por vezes entre colegas/amigos, como, mais vezes, entre irmãs. às tantas, já não sei quem tem razão, ou não nem o que fazer!

    ResponderEliminar
  3. Jo, para mim, no meu ver de adulta, responder de igual forma não é solução, apesar de que uma pessoa tem que se saber defender. E eu sempre lhe passei a ideia de que violência NÃO. Mas receio que isso possa fazer com que ele deixe que lhe façam tudo, porque, convenhamos... uma criança que bate noutra raramente é suficientemente razoável para se deixar parar com palavras :s por isso acho tão complicado!

    ResponderEliminar
  4. Claro, percebo-te perfeitamente! Daí ter dito que não ia ser grande ajuda... Aliás, acho que o principal problema devia estar da parte dos pais da criança que bate, e não dos outros... Mas entendo a tua preocupação e as tuas dúvidas!

    ResponderEliminar

Manda o teu bitaite