sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

10 conselhos para mães de primeira viagem


Quando engravidei, não estava preparada para tudo o que isso implicava, acho que ninguém está a 100%. Assim, deixo aqui os conselhos que podia ter recebido quando estava à espera do meu filho e já depois, ao longo do crescimento dele.

1 - Criem um sistema para se organizarem no que respeita às questões médicas
O meu filho é uma criança frágil e doente, com um sistema imunitário lixado, que facilmente vai abaixo com qualquer coisa, por isso é acompanhado a toda a hora por vários médicos. Assim, comecei a sentir necessidade de apontar tudo, ter uma espécie de agenda, onde faço o registo de sintomas, diagnósticos, tratamentos, medicação, consultas, exames médicos, alergias e resultados de análises. Dá imenso jeito, inclusivamente para dar informações sobre precedentes aos médicos que atendem a criança.

2 - Registem os antecedentes clínicos
No seguimento do primeiro tópico, já que também está relacionado com a saúde, aconselho-vos a tomar nota (eu fi-lo na primeira página do caderno que uso para os assuntos médicos do meu filho) dos antecedentes clínicos da família, de forma a poder esclarecer os médicos nesse campo, pois muitos deles colocam estas questões, que podem ser bastante úteis em despistes de doenças.

3 - Carreguem sempre com vocês um kit viagem para a criança
Rapidamente me apercebi que andar fora de casa com uma criança implica necessitar sempre de coisas das quais nem sempre nos lembramos quando somos só nós. Na vossa mala ou uma malinha/mochila específica para a criança (quando são maiorzinhos até ficam orgulhosos de transportar as coisas deles), tenham sempre uma garrafa de água, toalhitas, lenços de papel, umas bolachinhas e/ou um iogurte, uma muda de roupa (até uma certa idade), um casaco e uns pensos rápidos. Acreditem, vai dar-vos jeito.

4 - Não comprem um carregamento enorme de produtos da mesma marca
Fraldas, toalhitas, cremes, loções, produtos de banho... pode parecer aliciante fazer um enxoval destas coisas antes da criança nascer, adquirir tudo em grande quantidade ainda durante a gravidez para não ter que dispender esse dinheiro posteriormente. Contudo, mesmo sendo coisas de marcas boas e reconhecidas, os produtos podem causar alergia ao vosso bebé. Recomendo antes que o dinheiro que iam gastar nessas coisas, o vão pondo de parte para quando descobrirem qual a marca que o vosso bebé tolera.

5 - Não comprem muitas roupinhas tamanho 0
Muitos bebés são demasiado grandes para esse tamanho e, mesmo quando serve, acabam por mal as usar. É dinheiro um bocadinho mal gasto, especialmente se comprarem todo um guarda-roupa tamanho 0. Vão crescer num instante e não chegam a usar todas as peças que vocês lhes compraram. É preferível comprar ligeiramente maior, ficar mais folgadinho ao bebé e servir durante mais tempo.

6 - O pequeno desenvolve-se ao seu próprio ritmo
Uma das coisas que me afligia era quando o meu filho não correspondia às expectativas que eu tinha dos acontecimentos. Por exemplo, o meu bebé não acordava durante a noite para comer e eu preocupava-me porque toda a gente me dizia que os bebés acordavam de 2h em 2h ou 3h em 3h para mamar. Levantava-me da cama a meio da noite para ir ver se estava tudo bem com ele. Não se preocupem. O vosso filho vai acordar quando tiver fome. Os primeiros passos, os dentes a romper, o primeiro dente a cair, o desfralde... ele vai fazer tudo isso a seu tempo.

7 - Optem por sandálias fechadas
O meu filho ainda usou sandálias abertas; porque, apesar de já ter tomado conta de muitas crianças, nunca é o mesmo quando são os nossos e há conhecimentos que vamos adquirindo com as experiências. Eventualmente, quando ele já andava e corria bem, acabei por começar a comprar sandálias mais fechadas à frente, para proteger os dedinhos, que acabavam muitas vezes esfolados. Sei que isto já é uma opção de cada pai/mãe, claro. É só uma sugestão.

8 - Façam um calendário para o vosso filho
À semelhança do caderno dedicado ao registo das questões de saúde, é bom terem uma espécie de agenda (eu tenho mesmo uma agenda, personalizada por mim, inspiradíssima em ideias do Pinterest) para apontarem acontecimentos da vida do vosso filho. A minha serve para apontar tudo, relacionado com afazeres e coisas minhas e do B., mas podem ter uma só para o vosso filho, onde tomam nota das datas de festas de aniversário para as quais ele é convidado, por exemplo. Isto revelou-se muito útil a partir do momento em que ele entrou para a escola, para me lembrar de coisas como comprar máscaras de Carnaval e Halloween para as festas dessas épocas, as datas das festas escolares, das férias, das fichas de avaliação, fazer listas de coisas que precisam comprar para ele, seja roupa, sapatos, sapatilhas de ginástica, flauta para a aula de música. Ajuda-vos a organizarem-se.

9 - Registem os marcos que eles ultrapassam
Quando era mais miúda, perguntava à minha mãe quando é que me tinha acontecido isto ou aquilo e ela dava por ela a tentar lembrar-se de algumas coisas e não conseguir situá-las no tempo. Assim, comecei a registar momentos dos quais acho que vou gostar de me lembrar no futuro: quando deixou as fraldas e a chucha, quando lhe nasceu o primeiro dente e quando caiu, quando começou a tomar banho sozinho, a limpar-se sozinho quando vai ao WC, quando começou a dormir e a comer sozinho... todo o tipo de coisas que quiserem garantir que não esquecem sobre o desenvolvimento dele.

10 - Façam um backup das fotos dele
Isto serve para todas as fotos, obviamente, mas falo nas do filhote especificamente, porque é a pessoa mais importante da vossa vida e cujas recordações vão querer guardar sempre, sem risco de perder. Eu perdi as fotos digitais todas do primeiro ano do meu filho e ter-me-ia dado uma coisinha má se não as tivesse já imprimido todas. A partir daí, tenho as fotos todas no PC, mas também numa cloud, em CD e ainda em papel.

5 comentários:

Manda o teu bitaite

Férias 2019 #3