terça-feira, 4 de abril de 2017

Pessoas que nunca se calam

Hoje, no centro de saúde, estava uma rapariga sentada à minha frente, que devia rondar a minha idade, mais coisa menos coisa, com uma bebé de um ano ao colo. Super querida, super simpática, uma bebé muito sorridente, que esteve à espera montes de tempo, mas sempre bem-disposta, metia-se com toda a gente na sala de espera, a fazer adeus, a sorrir, a bater palminhas. Ao fim de cerca de 2h, chega uma mulher, que se sentou ao meu lado, super barulhenta, que meteu logo, automaticamente, assim que se sentou, conversa com a bebé e a mãe. A falar para a miúda como se fosse um rapaz (sei que há bebés fáceis de confundir, mas esta não era. Não tinha saia, nem vestia cor-de-rosa, mas via-se perfeitamente que tinha carinha de menina). Quando falou para a mãe, para perguntar a idade, esta disse-lhe que era uma rapariga. Começou logo a mandar bitaites, sempre a falar muito alto, que não dava para perceber, que não tinha brincos, que devia ter brincos, que era um dos maiores erros, não colocar brincos quando são pequeninas, porque a afilhada do filho dela tinha ido com 2 anos e se tinha fartado de chorar, que com 6 mesinhos é que é, porque choramingam um bocadinho e passa. A mãe nem respondeu e eu só revirava os olhos. Depois voltou a insistir para saber a idade e a moça disse-lhe que a menina tinha 13 meses, ficou espantadíssima porque a criança ainda não tinha dentes nenhuns e quis saber o que é que o pediatra dizia disso e que os 2 filhos dela com 12 meses já tinham 12 dentes e que, se fosse ela, preocupava-se mais com isso do que com o facto de a bebé ainda não andar, nem dizer nada. Oh, senhores, se aquela mãe teve paciência... Ai, se fosse minha filha. Acho que a tinha calado logo na parte dos brincos. Mas que mania do demónio que esta gente tem de querer meter o bedelho na vida e nas decisões dos outros! Desde quando é que, se tivermos meninas, somos obrigadas a furar-lhes as orelhas, seja com que idade for? E porque raio é que uma mulher desconhecida se sente no direito de querer saber a opinião do pediatra sobre o desenvolvimento da criança? Isto mexe-me com os nervos.

3 comentários:

Sofia disse...

Eu não estava lá e até a mim mexeu com os nervos!

Maat disse...

Ia deixar um comentário exactamente igual ao da Sofia :)
Já estou a espumar de raiva só de ler!

Cynthia disse...

Ahah, é absolutamente enervante. É que nem era nada comigo, mas... coragem! As pessoas não têm noção.