quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Oferecer animais

Ontem uma prima minha veio dizer-me que estava a pensar oferecer uma tartaruga ao meu filho, mas não sabia se ele ia gostar ou se a mãe dele aprovava a ideia. A minha resposta foi que, obviamente, o catraio ia gostar, mas nós, pais, nem por isso e que não queríamos animais em casa. Fiquei-lhe muito agradecida por me vir perguntar antes, porque há pessoas que têm a infeliz ideia de oferecer animais às crianças sem pedir opinião aos pais. É chato, porque colocam os pais numa posição desconfortável e muitas vezes nem são tartarugas ou peixes, que dão menos trabalho, mas cães ou gatos, que já requerem outros cuidados, despesas e paciência. O que acontece nessa situação é um de dois cenários: ou os pais se calam, engolem o sapo e aceitam contrariados, sabendo que, muito provavelmente, são eles que vão acabar por cuidar do animal e, certamente, serão eles que terão as despesas necessárias; ou recusam à frente da criança, causando a desilusão que se apodera dela e assumindo o papel de mau da fita perante os filhos. Portanto, pessoas, não façam isso... não é simpático. Quando queremos adquirir um animal, devemos ponderar se o podemos (e queremos) fazer, por isso, não é bonito impingirem-nos um sem termos qualquer poder de decisão sobre o assunto. Perguntem primeiro!

3 comentários:

  1. Também não acho graça.
    Tudo bem que não tenho filhos, mas nem eu nunca faria isso nem gostava que me fizessem.
    A minha irmã andava com ideias de me oferecer um cão, tive mesmo que me chatear.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Eu sou da opinião que animais não são "ofertas" ou "prendas". Adotar um animal (seja ele qual for) requer investimento (monetário e de tempo) e devem ser os futuros donos a decidir se querem fazê-lo ou não.

    ResponderEliminar

Manda o teu bitaite

Férias 2019 #3