sábado, 24 de setembro de 2016

Gone girl & Paper Towns


Sinopse: Nick e Amy são um jovem casal com a vida pela frente. Recentemente mudados para o Missouri, onde ele abriu um restaurante com Margo, a irmã, eles aparentam ser o casal perfeito. Porém, no dia em que celebram cinco anos de casamento, ela desaparece sem deixar rasto. Sem qualquer explicação sobre o paradeiro da mulher, ele torna-se suspeito de crime. Sob a pressão das investigações policiais e o escrutínio da opinião pública, a relação que todos julgavam perfeita começa a mostrar as suas fraquezas. Contudo, apesar de evasivo e pouco emocional nos interrogatórios, e mesmo após a descoberta de um diário comprometedor, Nick continua a declarar-se inocente. Com a irmã firmemente a apoiá-lo, ele não se deixa intimidar pelas evidências ou pela enorme desconfiança que recai sobre si. Mas, se não foi ele o responsável pelo desaparecimento de Amy, quem terá sido?






Opinião: Adorei este filme! Tem reviravoltas supreendentes, mostra-nos o quão enganados podemos estar em relação à pessoa que está connosco, em relação a quem nos rodeia, aos nossos vizinhos e familiares. Muitas surpresas, interpretações brilhantes, mistério, muito drama. Enfim, aconselho. Ah e não tem o final de que estava à espera. É um filme que não achei nada previsível. Bom, bom!



Sinopse: Quentin Jacobsen nutre uma paixão platónica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spielgeman desde a infância. Naquela época, eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro; eram muito amigos, mas hoje ela é uma rapariga linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds da sua turma. Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança contra o seu ex namorado que a traiu com sua melhor amiga. Ele, um pouco relutante, aceita. Assim, eles partem para a madrugada de Orlando. Depois de todas as aventuras, Margo diz que tudo é como uma cidade de papel, uma cidade supostamente falsa.

Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada, e que ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte.

Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, ele inicia uma jornada com seus melhores amigos, em busca de Margo. Porém, quando ele finalmente a encontra, percebe que ela nunca foi a rapariga, o mito, que ele pensava conhecer. Ela existia, porém ninguém a conhecia de verdade, nem ela própria. Ela era como uma cidade de papel.







Opinião: É um filme engraçado, com algumas partes de humor, leve, que se vê bem e nos ensina que nem toda a gente é aquilo que os outros pensam. Toda a ideia que o mundo tem de uma pessoa pode estar completamente errada. É sobre alguém em busca dela própria e de como a percepção que temos do nosso mundo pode estar completamente do avesso e estarmos a encará-la da perspectiva errada. É uma lição, no fundo e com um final que eu não esperava também. Gostei e aconselho. É bonitinho!

3 comentários:

Manda o teu bitaite