terça-feira, 2 de maio de 2017

Séries viciantes #13 \\ The L-word


Sinopse: A série centra-se nas vidas e relacionamentos de uma série de mulheres lésbicas e bissexuais que vivem no bairro de West Hollywood, em Los Angeles. No início da série, Bette Porter, directora artística de uma galeria de arte, e Tina Kennard, um casal há 7 anos, tentam conceber um bebé por inseminação artificial; Dana Fairbanks, uma tenista em ascensão, lida com o facto de se assumir; Jenny Shecter, uma aspirante a escritora que acaba de se licenciar e recentemente se tornou vizinha de Bette e Tina com o seu namorado Tim Haspel, lida com a sua crescente atração por Marina Ferrer; e Alice Pieszecki, uma jornalista bissexual, debate-se com a sua relação pouco saudável com a sua namorada intermitente. O ponto de encontro das amigas é o bar e café The Planet, onde frequentemente se encontram ao longo da série. A dona deste é Marina Ferrer, que assim conhece o grupo, e mais tarde Kit Porter, a irmã de Bette, uma antiga cantora com um problema com o álcool.

Opinião: Esta série tem 6 temporadas e foi uma das que vi do princípio ao fim. Acompanhei a evolução das personagens e as mudanças de todas elas. Apresenta-nos cenas de sexo, a sexualidade das personagens e a sua vida amorosa, relações pessoais e profissionais. Relata a vida de mulheres que estão totalmente confortáveis com a sua orientação sexual, bem como daquelas que ainda não se assumiram e as dificuldades que isso representa para elas. Mostra-nos como lidam com traições, morte, medos, racismo, maternidade, drogas, enfim... É uma série crua, que aborda todos estes temas de forma clara. E, claro, tem o seu quê de divertido. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Manda o teu bitaite