segunda-feira, 2 de julho de 2018

Já passaram 5 anos?

Ontem, dia 1 de julho, completámos 5 anos a viver juntos, eu e o B. Portanto, acho que posso falar com algum conhecimento de causa sobre o que é viver com alguém e fora da asa dos nossos pais. Quando vivemos com eles e estamos prestes a sair de casa ou nos juntámos há pouco tempo com alguém, os comentários são, invariavelmente, os mesmos, todos no sentido de nos avisarem que, eventualmente, vamos ter saudades da casa dos papás, que as responsabilidades vão começar a pesar, que a fase lua-de-mel só dura até determinada altura, que ninguém vai lá estar para cozinhar e limpar, além de nós... e por aí vai. 

Como é óbvio, tudo isto é verdade, passamos a ter que gerir a nossa própria casa e não, não é o mesmo que fazer tarefas domésticas em casa dos pais. Sim, temos que gerir o nosso próprio dinheiro, os prazos das contas a pagar, aprender a fazer compras inteligentes no supermercado. Também é verdade que, com o tempo, temos que aprender a lidar com os defeitos, manias e hábitos da pessoa que vive connosco e que isso nem sempre é fácil. Mas a forma como as pessoas falam leva-nos a sentir que é tudo mau, que não compensa viver com ninguém, que somos burros por querer sair da casa da família e que nos vamos arrepender.

5 anos depois, posso afirmar categoricamente que nunca me arrependi. E é bem verdade que não é tarefa fácil adaptarmo-nos a viver com alguém, como é tão verdade que já passei por momentos bem complicados nesta jornada da vida adulta. Já aconteceu o dinheiro não chegar para as contas e ter que recorrer aos pais (felizmente, cada vez mais raramente); já aconteceu cometermos erros financeiros e sentirmo-nos a afundar durante meses; já estivemos sem emprego, tanto um como outro; já foi preciso racionar a comida que tínhamos em casa assim ao máximo; já tivemos que fazer muitos sacrifícios e adiar planos porque a vida adulta é assim mesmo: difícil.

Mas, meus amigos, arrepender-me nunca. Não há nada como a paz de estar na minha própria casa, na minha sala, poder escolher a programação que me apetece ver, ir dormir quando quero, poder sair sem ninguém ter que saber que vou sair, poder comer o que me apetece às horas que me apetece. Se sabe bem ir a casa dos pais? Claro que sim. Mas não me consigo ver, neste momento, a voltar para lá de forma mais permanente. Apesar de ter quase 30 anos, ser uma pessoa adulta, com emprego e o meu próprio dinheiro e de saber que não teria que me justificar como se tivesse 15 anos, iria sempre sentir que me estava a ser tirada a liberdade, porque estava a invadir o espaço deles e deixava de ter o meu. 

O melhor conselho em relação a essa mudança na vossa vida? Não acreditem em tudo o que vos dizem.

5 comentários:

  1. Eu já moro com o meu namorado há 3 anos e meio. Nem sempre é fácil mas também já não me via a voltar para casa dos meus pais. É tão bom fazer as coisas à minha maneira!

    ResponderEliminar
  2. Muitos parabéns e que venham muitos mais 5

    ResponderEliminar
  3. Tal e qual!
    Por aqui, celebramos hoje 4 anos da mesma fase da história! ;)

    Parabéns a vocês! ***

    ResponderEliminar
  4. O tempo passa rápido! Parabéns e que venham muitos mais anos!

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  5. Parabéns pelos 5 anos =)
    Nós estamos quase há 1 ano, mas olha, continuo sem notar diferença. Sempre fiz tudo, sempre fui responsável por muita coisa e olha, parece igual. A liberdade é que é outra =)

    Beijocas

    ResponderEliminar

Manda o teu bitaite

O último trimestre

Como está a ser o vosso mês final de gravidez? É o título do tópico publicado no fórum De Mãe para Mãe, que podem ler ao aceder a esse ...