segunda-feira, 2 de julho de 2018

Janela maldita

Há 4 anos que estou nesta casa e sempre tive uma relação de amor-ódio com a minha janela da sala. É bastante ampla e dá imensa luz à casa, o que foi um ponto a favor (pensei eu) quando vim ver a casa antes de a alugar. Contudo, tem um problema. Não é numa parede direita, mas sim em arco e, por isso, não tem persiana, por defeito. Ora, não sendo a casa minha, não vou gastar um balúrdio em estores e montagem dos mesmos. Isso traz-me alguns dissabores.

O primeiro é que não posso ter a janela aberta, no verão entram imensos mosquitos e moscas e toda a espécie de insectos infernais e no inverno, well... chove e, portanto, não é opção sair de casa e deixar a janela aberta. Todas as outras ficam abertas, com a persiana fechada só até deixar os orifícios para arejar. 

A janela é de parede a parede e até ao tecto, sem vidros duplos, e nunca apanha sol directo, o que faz com que, ao longo de todo o inverno, cause condensação nas janelas e me deixe uma poça de água no chão, bem como as paredes cheias de humidade. 

E, por último, como entra imensa luz, não conseguia ver TV em condições durante o dia, porque tudo o que via no ecrã era reflexo da sala, principalmente em cenas mais escuras, portanto, ver filmes ou séries antes de cair a noite era uma missão quase impossível. Tinha uns cortinados, mas eram semi-transparentes, muito giros, mas pouco práticos para abafar a imensidão de luminosidade. 

Todos estes problemas podiam ter sido resolvidos mais cedo, provavelmente, mas como a ideia não era ficar ad eternum nesta casa, mas sim procurar uma para comprar, fomos adiando. Bem como tudo o resto. Este ano, após a morte do meu tio e a descoberta da gravidez, decidimos cancelar, no futuro mais próximo, a aquisição de uma casa e fazer as alterações que queríamos nesta (dentro do que se pode fazer numa casa alugada) para tê-la ao nosso gosto.

O problema da humidade tentámos colmatar com um desumidificador que, como comprámos às portas do verão, ainda não tivemos oportunidade de testar verdadeiramente. As bichezas a entrar pela janela aberta também estamos a resolver com a colocação de uma rede mosquiteira. Quanto ao último ponto, decidi investir, finalmente, nuns cortinados blackout. Sabem, aqueles de ocultação total, opacos, que escurecem a divisão.


Comprei uns assim castanhos, mas num tom ligeiramente mais claro que este, não tanto chocolate negro, mas mais chocolate de leite, estão a ver? Bom, estou rendida! Das melhores coisas jamais inventadas. Resolveu-me o problema e estou a amar de paixão poder ter a minha sala escura em horas diurnas, coisa que era impensável até agora.

2 comentários:

  1. Às vezes são coisas simples que resolvem os nossos problemas. Desde que meti umas cortinas estilo venezianas nas três janelas enormes da cozinha que a casa ficou mais fresca. Como são opacas e cinzentas não deixam entrar a luz e cortam imenso o calor que se sentia. Foi a melhor compra cá para casa!

    ResponderEliminar
  2. Nós por acaso não temos esse problema. Na varanda temos estores, o que é bom.

    Mas fico contente por ver que já conseguir resolver +/- =)

    Beijocas

    ResponderEliminar

Manda o teu bitaite

Férias 2019 #3