terça-feira, 18 de setembro de 2018

O último trimestre


É o título do tópico publicado no fórum De Mãe para Mãe, que podem ler ao aceder a esse link. Acho que mães de segunda viagem ou que estejam agora já nos "finalmentes" da gravidez podem identificar-se bastante com algumas coisas lá escritas nos próprios comentários. As que ainda não chegaram lá também podem dar um olhinho, para saber o que vos pode esperar.😂

Eu sei que me identifiquei e que essa publicação podia ter, facilmente, sido feita por mim sem mudar uma única palavra. Já passei por uma gravidez antes e sabia que era uma fase mais chata, mas... além de ter sido uma gravidez mais tranquila, o último trimestre foi no fresquinho do outono/inverno, já que o Leo nasceu em janeiro. Isto de passar o fim da gravidez no verão é toda uma outra coisa.

E o que é que o último trimestre me trouxe? Pés inchados. Pés muito inchados! Parecem dois pequenos leitõezinhos que tenho a suportar o meu peso. A médica e a enfermeira dizem-me para beber muita água, fazer duche de água fria desde a coxa até ao pé e muito repouso. Ora, não faço eu outra coisa senão repousar, porque a mobilidade, nesta altura, já começa a ser pouca.😂

As mãos também incharam e, apesar de não ser tão visível como nos pés, eu senti. Tive que deixar de usar o anel de noivado, a aliança de casamento e ainda um outro anel que nunca tirava. Temi que se não o fizesse, chegasse o dia em que não me ia circular o sangue nas mãos, que aquilo já começava a apertar mais do que a conta.

Acessos repentinos de calor. Ora, quem já me lê há algum tempo, talvez saiba que eu sou super avessa ao calor. E que não o suporto facilmente. Mas nunca, senhores, nunca me custou tanto como agora. Passo as 24h do dia com calor. Uma coisa descomunal. Acordo durante a noite a ter que me ir passar por água, para conseguir adormecer novamente. Ando sempre transpirada e tenho assim acessos, ondas de imenso calor, mesmo estando à frente de uma ventoinha, numa sala com ar condicionado ou debaixo do chuveiro!

Não conseguir estar de barriga para cima. Seja a dormir, a ler ou a ver televisão, é-me impossível estar nesta posição, a miúda já está grande, já ocupa muito espaço, pressiona-me tudo e parece que nem respiro em condições. De maneiras que está fora de questão.

Lavar os pés durante o banho. Um dos comentários nesse tópico até diz "Pés? Quais pés?", o que me fez rir! É verdade. É uma tarefa hercúlea, exige imenso de mim! Mal chego lá. A parte positiva de estar a passar por uma gravidez de verão é não ter que me baixar para calçar, porque só uso chinelos.

Pessoas que, constantemente, dizem: "então, está quase?!". Não... não está quase! Esta conversa, especialmente se fizerem logo uma barriguinha grande, começa cedo. E torna-se exaustivo, porque não está quase coisa nenhuma e, para nós, ainda parece mais tempo, porque já pesa, já cansa e a vontade de mexer já é zero, acompanhada com a ansiedade que vai crescendo nas últimas semanas, com o aproximar do parto.

Os xixis constantes. Ora... a vontade de ir à casa de banho aumenta com a gravidez, regra geral, mas no último trimestre é outro nível. Especialmente depois de os bebés darem a volta, porque encontram um brinquedo novo: a bexiga da mãe! E até podes só ter lá 3 gotinhas, que se o bebé andar a fazer dela trampolim, tens que ir a correr para a sanita. E depois chegas lá muito aflita e xixi é praticamente nulo.😂

Dores nas costas e na bacia. A barriga já é enorme, o aumento de peso já atingiu maiores proporções (mais numas que noutras, claro), já são muitos meses e a recta final já acarreta mais movimentos e pressão por parte do bebé que está a ficar sem espaço, tendo que comprimir os órgãos lá dentro e mexer-se no pouco espaço que tem, sendo que, às vezes, é bastante incómodo para a mãe. Contudo, se ele não se mexer tanto, a ansiedade surge porque ai-meu-deus-que-não-sinto-o-meu-bebé.

Irritabilidade e falta de paciência para tudo. O calor também não colabora com este ponto. Tudo me enerva, não quero descarregar em quem não tem culpa e me é mais próximo, mas, por vezes, sinto-me um bicho mal-humorado, a quem não se pode dizer nada. Isto reflecte-se, muitas vezes e principalmente, no pobre do marido.😂 Homens, sejam pacientes... vocês não fazem ideia do que as hormonas nos fazem.

E pronto, acho que é isto. Gravidinhas ou mamãs, identificam-se?

2 comentários:

  1. Para mim o pior foi encontrar posição para dormir, nos últimos 2 meses. Também tive durante uns 15 dias síndrome de canal cárpio e foi muito chato porque perdia a força e sensibilidade nas mãos. De resto... foi tranquilo. Mas o meu bebé nasceu em Dezembro

    ResponderEliminar

Manda o teu bitaite

Qualidades e defeitos

Aproveitava um momento de descanso  da Alice para começar o caderno de saúde dela, como tenho para o meu filho, onde aponto tudo o que está...