sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Livros que recomendo #22 \\ A Rapariga no Gelo


Sinopse: Quando um rapaz descobre o corpo de uma mulher debaixo de uma espessa camada de gelo num parque do sul de Londres, a inspetora-chefe Erika Foster é imediatamente chamada para liderar a investigação. A vítima, uma jovem bela e rica da alta sociedade londrina, parecia ter a vida perfeita. No entanto, quando Erika começa a investigar o seu passado, vislumbra uma relação entre aquele homicídio e a morte de três prostitutas, encontradas estranguladas, com as mãos amarradas, abandonadas nas águas geladas de outros lagos de Londres. 

A sua última investigação deu para o torto, e agora Erika tem a carreira presa por um fio. Ao mesmo tempo que luta contra os seus demónios pessoais, enfrenta um assassino altamente mortífero e que se aproxima tanto mais dela quanto mais próxima ela está de expor ao mundo toda a verdade. Conseguirá Erika apanhar o assassino antes de ele escolher a próxima vítima? 


Opinião: Gostei de ler este livro, porque se lê bem, é uma escrita fluida, descomplicada. Não é um livro extremamente emocionante. A própria história pessoal da personagem principal é um autêntico cliché, não trazendo nada de novo a um livro deste género. Por isso, ainda bem que não foi muito explorada essa parte. A própria personagem, Erika, é algo repetitiva, na medida em que este género de personagem já está muito visto, a polícia que acaba por ter que lutar contra todos os outros agentes para defender as suas teorias, indo contra ordens superiores e, no fim, acabando por ter razão. Ainda assim, mesmo que possam ser previsíveis, eu gosto de thrillers. E este é um que se lê facilmente. Contudo, apesar de ter achado pouco original, não consegui prever o desfecho, fiquei surpreendida com a identidade do assassino, pelo que, no fim, acabei por não me desiludir. Pior seria se chegasse ao fim e desse de caras com um nome no qual tivesse pensado ao longo do livro, mas, de facto, não estava à espera de ler aquele nome quando foi revelado. Gostei também da abordagem à corrupção de valores da classe alta e das influências que o dinheiro e o poder podem ter. Nada de novo, no entanto. Para quem gosta do género, fica a saber que não é uma história que nos faça ficar com falta de ar, mas antes um thriller de fácil leitura.

1 comentário:

Manda o teu bitaite

Superstições

Se há coisa que não suporto são as superstições. Se cada um quiser tê-las, por mim, tudo bem; por respeito não digo o que penso sobre o ass...