segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Como lidar?


Quantos de vocês já se perguntaram qual seria a vossa reacção caso um familiar ou um amigo próximo vos contasse que é homossexual? E quantos de vocês se sentem preparados para receber essa notícia e verdadeiramente capazes de aceitá-la? 

Eu já passei por isso. Mais do que uma vez. E a primeira vez foi numa idade ainda tenra, em adolescente. Numa altura da vida em que é complicado processar esse tipo de informações, porque sofremos muita pressão e sabemos que tipo de comentários pode provocar nos nossos pares uma confissão dessas. 

Passei por isso com amigas próximas e com familiares. Acompanhei essa descoberta e a luta que é para essas pessoas assumirem uma orientação sexual diferente do que é o esperado por toda a gente. 

Sei que muita gente se diz completamente liberal em relação a este assunto e afirma que não lhe faz confusão. O que, em teoria, está muito certo. Mas muitas dessas mesmas pessoas não esperam, no fundo, que lhes aconteça a elas; que um filho, uma irmã ou um amigo lhes vá confessar que gosta de pessoas do mesmo sexo. E quando isso acontece, apesar de se dizerem tão liberais, ficam sem chão e não sabem como reagir. 

Pois bem, devo dizer-vos que a primeira coisa a fazer é meterem na cabeça que isto pode acontecer sem vocês esperarem. Pode ser uma das vossas pessoas a revelar-se homossexual. Devem, em primeiro lugar, mostrar às pessoas que vos rodeiam que podem sentir-se confortáveis para se assumirem perante vocês sem medos.

Depois, quando existe, de facto, alguém que vos conta uma coisa destas, vão pensar coisas que sabem que não devem dizer, mas cujos pensamentos não conseguem evitar. E está tudo bem. Ninguém pode controlar aquilo que pensa, todos somos humanos; podemos, sim, medir as palavras.

Vão pensar que a pessoa nunca irá ter filhos (sim, todos sabemos que há várias maneiras de se ter filhos e que isso é possível para um gay, mas falo da forma convencional); que vai ser sempre olhada de lado, para o resto da vida; que vai ter que enfrentar preconceitos para onde quer que olhe; que vai haver muita gente a comentar quando essa mesma pessoa andar na rua de mão dada com o parceiro; que um casamento por igreja estará sempre fora de questão.

Mas o que devem fazer quando alguém vos dá essa notícia, é recebê-la com amor e aceitação. Tranquilizar a pessoa acerca do que os outros podem dizer, porque há muita gente que receia os comentários e olhares alheios. Dizer-lhe as vezes que forem precisas que o que os outros vão pensar é insignificante. Explicar-lhe que quem realmente importa, o vai aceitar tal como é. Fazer-lhe saber que só querem que seja feliz e que vão receber de braços abertos a pessoa que escolher para ter ao seu lado.

Eu já passei por lésbica mais do que uma vez, por me dar com raparigas que o são. Já ouvi coisas que me arrepiaram a pele e me fizeram saltar a tampa. Já tive que me calar muitas vezes para dar umas valentes bofetadas em algumas pessoas. Sou uma defensora acérrima da comunidade LGBT e estou há anos familiarizada com esta realidade.

Transcende-me que ainda haja pessoas a renegar amigos e até os próprios filhos por serem gays; que continuem a haver ataques e crimes de ódio contra eles só por serem quem são, por amarem quem amam; que ainda se pense que ser homossexual é uma escolha. Ser gay, meus amigos, não é uma opção sexual, como se diz, mesmo quando não é dito com maldade. Estão a usar a palavra errada. É uma orientação. Tal como a vossa. Ou alguém escolheu em algum ponto da vida que iria gostar de pessoas do sexo oposto?

7 comentários:

  1. Para mim essa questão é super simples. Todos os meus amigos homens são gays e o meu melhor amigo é gay e vai ser o padrinho do meu filho. O mais importante são os afectos e a capacidade de amar, independentemente de quem se ama.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha melhor amiga também o é e é a madrinha do meu filho :) é bom que penses assim, é pena que não haja mais pessoas a ver isso com tanta naturalidade.

      Eliminar
  2. Tive um amigo meu, e ex namorado, que me contou que era gay, ao principio fiquei admirada mas depois achei absolutamente normal!

    Bjxxx
    Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É normal ficares admirada, no fundo, não estás à espera. Mas acabas por perceber e aceitar :)

      Eliminar
  3. Passei por isso várias vezes também, uma delas com uma amigo muito muito próximo - e é tal e qual como descreves.

    O que eu mais aprendi é que o Amor tem mesmo muitas formas e que saímos todos mais ricos e sábios <3

    ResponderEliminar
  4. Já passei por essas revelações três vezes. Em todas elas fiquei do lado da pessoa e não me afastei nada. O que me interessa é a felicidade daqueles que gosto. Amor é amor.

    ResponderEliminar
  5. Não sei como lidaria, mas provavelmente, bem.
    Um colega já me disse que era gay. Claro que vê-lo a controlar homens comigo era só estranho, mas depois uma pessoa habitua-se.

    Se fosse o meu irmão ou irmã, sei lá, acho que levava mesmo na desportiva.
    Desde o amigo gay, a amigas bi-sexuais... Sejam felizes =)

    Beijocas

    ResponderEliminar

Manda o teu bitaite

Qualidades e defeitos

Aproveitava um momento de descanso  da Alice para começar o caderno de saúde dela, como tenho para o meu filho, onde aponto tudo o que está...