sábado, 12 de maio de 2018

Alojamento na lua-de-mel

O post de hoje é para vos falar sobre os sítios que reservámos para passar as noites da nossa lua-de-mel. Uma espécie de review para ajudar quem pretender marcar férias nos locais por onde passámos. O local que escolhemos para dormir quando vamos passar uns dias fora é sempre importante, pois é bom que nos faça sentir confortáveis e em casa, tanto quanto possível.

O primeiro onde estivemos hospedados foi uma casa muito gira, "A Casa do Avô de Óbidos". Foi o melhor alojamento, de todos onde ficámos. É uma vivenda à beira da estrada, entre Óbidos e as Caldas da Rainha, isolada q.b., visto que ninguém nos incomoda, nem se ouve barulho de vizinhos; situada junto a um Intermarché, o que dá imenso jeito (e este tinha máquinas de lavar no parque de estacionamento). Limpa, bonita e bem iluminada, tinha estacionamento dentro da propriedade e um telheiro com barbecue nas traseiras. Apanhava wi-fi na casa toda, a cozinha era super bem equipada, com imensos utensílios, torradeira, tostadeira, microondas, máquina de café Delta e um aspecto muito moderno, não lhe faltando absolutamente nada. Tinha uma manta corta-fogo e lanternas, toalhas grandes e pequenas em quantidade suficiente na casa-de-banho, imenso papel higiénico, gel de banho e champô. A lareira aquece bem a casa e a cama do quarto onde ficámos era enorme. Super recomendo e tenciono lá voltar!









O segundo local onde dormimos foi a paragem flash na Figueira da Foz, NN Guest House. Só lá passámos uma noite, chegámos por volta das 16h e saímos às 10h do dia seguinte. Passámos o tempo todo no quarto a descansar, devido ao facto de eu estar engripada, mas não consegui repousar tão bem como gostaria, porque por baixo, logo ao lado da entrada do alojamento, estava um café com karaoke e música super alta, que durou e durou... só parando por volta das 22h. Terrível! O quarto era super quente, mas, por causa daquela barulheira infernal, não podíamos ter as janelas abertas, caso contrário, nem a TV conseguíamos ouvir. Ficámos no 3º andar, não havia elevador e as escadas eram muito estreitas e a pique, com degraus altos, dificultando a passagem com bagagem. Wi-fi nem vê-lo, apanhava a rede do alojamento, mas internet zero. A casa-de-banho tinha poliban com portas de correr, as quais estavam mal montadas, com a estrutura toda a abanar, sendo que uma das portas saltou logo quando tentámos fechar para tomar banho. Foram pontos negativos que não nos fazem querer lá voltar, o que é pena, porque tinha pontos positivos a assinalar: o quarto era bem iluminado e limpo, com um aspecto moderno, apesar de pequeno; a cama muito grande e confortável e o senhor que nos recebeu muito simpático.

 



Por último, reservámos três noites num apartamento do Porto (Douro River Cozy Apartments), que também se revelou abaixo das nossas expectativas. Primeiro, os pontos positivos. A localização não é má, à beira do rio e com facilidade em chegar à Ribeira, aos Clérigos e toda a zona envolvente sem necessidade de usar carro. O apartamento era limpo e iluminado a casa-de-banho espaçosa. Dois armários na casa que, apesar de poucos cabides, tinham espaço suficiente. A pessoa que nos recebeu foi simpática e pontual. O terraço é uma mais-valia e havia sinal de wi-fi em todo o apartamento. O Continente ficava a 15min a pé e tínhamos uma lavandaria mesmo na rua, o que dá imenso jeito para passar alguns dias. Agora, pontos menos bons a salientar: a cama não era muito confortável e as almofadas igualmente, sem altura, tivemos que colocar duas na mesma fronha. O sofá era um sofá-cama, pouco confortável para relaxar a ver um pouco de TV. A cozinha tinha o essencial, mas podia estar um bocadinho melhor equipada. O frigorífico era demasiado pequeno, daqueles mini, o que dificultava ter comida para vários dias, obrigando os hóspedes a ir às compras várias vezes, especialmente se forem mais pessoas. Contudo, o que mais nos desiludiu e chateou foi não nos terem avisado que havia obras no prédio mesmo ao lado. Claro que as obras não são responsabilidade deles, mas têm obrigação de avisar os hóspedes. Não o fazem porque sabem que vai influenciar a decisão de ficar lá ou não. Infelizmente, não li os comentários todos do Booking, quando fiz a reserva, apenas os primeiros e eram, no geral, positivos, porque, aparentemente, não é a primeira vez que isto acontece. Ao longo de todo o ano de 2017 há vários comentários depreciativos no site sobre esta situação, de haver obras no prédio ao lado e nenhum aviso sobre essa situação. Foi uma coisa que muito nos desagradou, por vários motivos. Condicionou imenso o estacionamento na rua; não pudemos usufruir do terraço, porque os senhores andavam lá, mesmo do lado de fora da janela do quarto, a martelar logo cedo. Acordámos todos os dias antes das 8h da manhã, o que é fantástico... A única altura do dia em que não estavam lá era à noite e o terraço estava completamente coberto de pó. Visto que isto é um problema recorrente, aconselho a que, se quiserem lá ficar, perguntem logo antes de reservar, se estão a decorrer obras no local.





Sem comentários:

Enviar um comentário

Manda o teu bitaite

Qualidades e defeitos

Aproveitava um momento de descanso  da Alice para começar o caderno de saúde dela, como tenho para o meu filho, onde aponto tudo o que está...