quarta-feira, 27 de março de 2013

Amor

Este fim-de-semana que passou estive sem o meu filho. Foi na quinta-feira para casa dos avós paternos e voltou ontem. Não tê-lo cá em casa dá um certo descanso, que dá. E alguma liberdade, se precisar ou quiser sair para qualquer lado, sem ter que pedir a ninguém que me fique com ele por um bocadinho. Significa também não ter sempre a casa toda desarrumada, com brinquedos espalhados por tudo quanto é sítio.

Mas ontem, quando abri a porta e o vi a correr para mim, saltar-me para o colo, dar-me beijinhos e dizer-me que gosta muito de mim e que tinha saudades minhas, o meu coração inchou quase até saltar do peito. É a melhor sensação do mundo e, por muito que a vida possa ser facilitada sem a presença de uma criança, não há nada como isto. Preenche-me na totalidade e faz-me esquecer, por momentos, que tenho problemas e coisas com que me preocupar.

Troco a liberdade, o descanso, o dormir até mais tarde, a falta de responsabilidade por não ter que tratar de uma criança... troco tudo isso para ter o meu filho sempre comigo!

3 comentários:

  1. Não sou mãe, mas acredito que assim seja. É bonito um amor assim. :)
    beijinho

    ResponderEliminar
  2. Ohhh mas que mãezona mais galinha :):)

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  3. lilipat, quando fores, irás perceber bem :) *

    Pretty, é que podes ter a certeza :p não há nada que me derreta como ele! *

    ResponderEliminar

Manda o teu bitaite