quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Tradições são boas?

Acabo de ler o seguinte numa página de facebook que fala sobre o ambiente que se vive na aldeia: "Por aqui não há subsídios para toda a vida, por aqui não se fecham cães e gatos em apartamentos vivendo encurralados e sem liberdade, com exceção daqueles minutinhos que vão à rua dar uma mijadela, por aqui não se sofre com o que não temos, por aqui vive-se com o que a vida nos dá, honradamente. E sim, os nossos corações são autênticos, tal como as nossas tradições!" acompanhado de uma foto da matança do porco.

E depois um rol de comentários, maioritariamente ofensivos. Cada vez menos me meto neste tipo de discussões, porque chego à conclusão que não vale a pena. E se, por vezes, me apetece defender o meu ponto de vista e apresentar argumentos, outra vezes, não me sinto com forças para isso, porque não vai levar a lado nenhum senão a insultos que é como, invariavelmente, acabam estas discussões online. Muitos defendem que as tradições são para ser mantidas, que "o antigamente é que era", que as crianças não tinham tantas doenças como agora, enfim, um sem fim de coisas...

Já para não falar no facto de ser uma tremenda discriminação às pessoas que vivem na cidade, assumindo que são todas más para os animais, aproveitadoras a viver dos subsídios, queixinhas que não fazem pela vida. Bom e mau há em todo o lado!

Francamente, isto é uma guerra na qual eu não me sinto capaz de participar. Mas deixo a minha opinião. Acho que o texto é uma posição extrema. Sim, nas aldeias o ambiente é diferente, não há a confusão e a poluição da cidade e há possibilidade de ter os animais em liberdade em vez de presos em apartamentos. Mas é isso que acontece sempre? Não. Há muitos acorrentados nos quintais, outros abandonados e pouco se investe na esterilização dos animais para prevenir o que quer que seja.

Vi um comentário que achei curioso! Que devíamos voltar a 100 anos atrás "para vermos o que era bom e se teríamos sempre legumes para comer". Bom, vamos lá compreender uma coisa. Mesmo quem come carne... não significa que se sinta confortável para assistir a matanças ou ficar indiferente a imagens fortes, bem como aos guinchos dos animais. E para os que abdicaram da carne e a quem este comentário terá sido dirigido... aplaudo a decisão e o estilo de vida. Para o comentador... meu caro, o que seria de nós se não evoluíssemos?

E já me começa a irritar esta coisa das tradições. Tenham lá dó, por favor. As tradições mudam-se, que eu saiba e, muitas vezes, para melhor. Touradas são tradição. E já sei que há muita gente que gosta. Mas a mim mete-me nojo. E depois argumentam que os touros só são criados por causa das touradas, caso contrário, serão extintos. Francamente, qual é o lado bom de só existirem para serem torturados? É que eu não o vejo! E acho terrível que os animais sejam torturados para entretenimento... mas é a minha opinião. Espero sinceramente que seja uma tradição a extinguir-se em breve!

Também já foi tradição a mulher ficar em casa e, quem sabe, levar umas tareias de vez em quando, para andar sempre na linha. Também já foi tradição na Igreja Católica queimar pessoas em praça pública, só porque as suas opiniões não estavam de acordo com a religião. E por aí fora. Tradição não significa que seja positivo. As coisas mudam e ainda bem!


P.S. - acho que, ainda assim, o problema maior é as pessoas não saberem respeitar a opinião alheia e não saberem argumentar sem insultar quem discorda delas. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Manda o teu bitaite